Inimigos do cristianismo primitivo como tipo escatológico
PDF

Palavras-chave

Fariceus
Saduceus
Estoicismo
Epicurismo
Materialismo
Nova Era
Catolicismo
Protestantismo.

Como Citar

Aguilar, R. (2012). Inimigos do cristianismo primitivo como tipo escatológico. Kerygma, 8(2), 93-110. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/110

Resumo

A primeira vinda do Messias foi realizada quando as características eram adequadas para esse evento. Uma dessas características foi a oposição de grupos do judaismo, fariseus e saduceus, e do helenismo, estoicos e epicureus.
As facções do judaísmo eram grupos opostos ideologicamente. Os seguidores das tendências filosóficas do helenismo diferiam nas suas convicções fundamentais. Porém, diante do cristianismo que surgia, essas forças unem-se graças a um princípio essencial das suas convicções. A segunda vinda do Messias ocorrerá na “plenitude do tempo” e uma das características dessa época será a atuação de grupos antagônicos que, deixando de lado suas diferenças, unir-se-ão para enfrentar o cristianismo genuíno. O presente estudo procura identificar ideologicamente quem são os saduceus e fariceus, de um lado, e, de outro, os estóicos e epicureus do tempo do fim.

PDF

Referências

ÁVILA, F. J. Pequena enciclopédia de doutrina social da igreja. São Paulo: Edições Loyola, 1991.

BEACH, B. B. Vatican II: Bridging the Abyss. Washington: Review and Herald Publishing Association, 1968.

BOCHENSKI, I. M. A Filosofia contemporânea ocidental. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

BROWN, C. Filosofia e fé cristã. São Paulo: Edições Vida Nova, 1999.

BRYANT, T. A. (Ed.). Today’s dictionary of the Bible. Laredo: Bethany House Publishers, 1982.

BULTMANN, R. Primitive christianity. New York: The Fontana Library, 1962.

COLEMAN, W. The pharisees guide to the total holiness. Laredo: Bethany House Publishers, Minn. Min. 1977.

DAVIDSON, B. Analytical hebrew and chaldee lexicon. Michigan: Zondervan Publishing House, 1979.

FERGUSON, E. Background of the early christianit. Grand Rapids: William B. Eerdmans Publishing Company, 1987.FREND, W. C. Martyrdom and persecution in the early church. New York: Anchors

Books, Doubleday & Co. Inc, 1967.

GEISLER, N. L. The new age movement. Biblioteca Sacra, jan. - mar., p. 82, 1987.

GOODFIELD, J. Playing God. London: Hutchinson & Company, 1975.

LIRA, E. C. As armadilhas da nova era. Ministério, mar. — abr. p. 5, 1993.

MOORE, H. C. Desde pentecostés hasta patmos. El Paso: Casa Bautista de Publicaciones, 1978.

MOORE. H. C. Desde pentecostés hasta patmos. El Paso: Casa Bautista, 1951.

NEANDER, A. General history of the christian religion and church. London: Edinburg T. & T. Clark, 1847, v. 1.

NEWMANN, A. H. A manual of church history. Boston: Mass, 1933. v. 1.

PERES, A. Entrevista. Revista Claudia, mar. p. 40-42, 1990.

SCHAFF, P. History of the christian church. Grand Rapids: W. B. Eerdmans Pub. Co. 1967. v. 1.

THE ANALYTICAL greek lexicon: grammatical analisys of each word. New York: Harper and Brothers, [19--?].

TILLICH, P. A history of christian thought. Michigan: Harper and Row Publisher, 1968.

TREDICI, J. Breve corso di Storia della filosofia. Roma: Edizioni Cardinal Ferrari, 1963.

TYSON, J. The new testament and early christianity. New York: Macmillan Pub. Co. 1984.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.