A agonia no Getsêmani: um estudo crítico
PDF

Palavras-chave

Lucas 22
43-44
Crítica textual
Getsêmani
Agonia

Como Citar

Ribeiro, L., & Paroschi, W. (2013). A agonia no Getsêmani: um estudo crítico. Kerygma, 9(1), 53-66. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/101

Resumo

O texto de Lucas 22:43-44 representa grande dificuldade textual às considerações
a respeito da Paixão de Cristo. Isso ocorre porque o texto sugerido não pode ser encontrado nos melhores manuscritos que evidenciam os relatos no Getsêmani, como consta no evangelho de Lucas. Assim, a fim de considerar tal problemática, este artigo procura analisar alguns comentários dos Pais da Igreja do segundo século e sugestões de alteração escribal, a fim de constatar a história do texto problemático. Por fim, entende-se que o texto de Lucas foi uma legítima interpolação ocasionada por questões teológicas. Contudo, em vista da importância da tradição fundamentada sobre a ocasião descrita no texto e antiguidade do mesmo, o relato deve ser considerado verdadeiro.

PDF

Referências

BARBOUR, R. S. Gethsemane in the Tradition of the Passion. New Testaments Studies, v. 16, 1969-70.

BRUN, L. Engel and Blutschweiss: Lc 22; 43-44. Biblische Zeitschrift, v. 32, p. 112-116, 1933.

CALVIN, J. Calvin’s Commentaries. Galaxie Software, 2002.

DUPLACY, J. La préhistoire du texte en Luc 22:43-44. In: METZGER, B. M.; EPP, E. J.; FEE, G. D. (Ed.). New Testament textual criticism: its significance for exegesis: essays in honour of Bruce M. Metzger. Oxford: Clarendon, 1981.

EHMAND, B. D.; PLUNKETT, A. The angel and the agony: the textual problem of Lk 22:43-44. Catholic Biblical Quartely, v. 45, p. 402, 403, 1983.

EHRMAN, B. D.; PLUNKETT, M. A. The angel and the agony: the textual problem of Luke 22:43-44. Catholic Biblical Quarterly, v. 45, n. 20, p. 401-416, 1983.

HERITAGE of great evangelical teaching: featuring the best of Martin Luther, John Wesley, Dwight L. Moody, C.H. Spurgeon and Others. Nashville: Thomas Nelson, 1997, c1996.

LAGRANGE, M.-J. Evangile selon Saint Luck. 2. ed. Paris: Lecoffre, 1921.

MARSHALL, I. H. The gospel of Luke: a commentary on the greek text. Includes indexes. Grand Rapids: Wm. B. Eerdmans Publishing Co., 1978.

METZGER, B. M. The text of the New Testament. 2. ed. Oxford: Oxford University, 1968.

NEYREY, J. H. The absence of Jesus’ emotions: the lucan redaction of Lk 22, 39-46. Biblica, v. 61, p. 153-171, 1980.

PAROSCHI, W. Critica Textual do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1999.

PLUMMER, A. A critical and exegetical commentary on the gospel according to S. Luke. London : T&T Clark International, 1896.

ROBERTS, A.; DONALDSON, J.; COXE, A. C. (Ed.). The ante-nicene fathers: translations of the writings of the Fathers down to A.D. 325. New York: Cosimo Cosmics, 1997. v. 1.

TURNER, E. G. Gospel According to St. Luke XXII. In: LOBEL, E. (Ed.).

Oxyrhynchus Papyri XXIV. London: Egypt Exploration Fund, 1957.

WESTCOTT, B. F.; HORT, F. J. A. The New Testament in the original greek. London: Macmillan, 1896. v. 2.

ZUNTZ, G. The text of the epistles: a disquisition upon the Corpus Paulinum. London: Oxford University, 1953.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.