Percepção dos professores de Enfermagem acerca do uso de Metodologias Ativas

Versões

PDF

Palavras-chave

Enfermagem
Percepção docente
Metodologias ativas

Como Citar

Aparecida Batista, T., & da Silva Alves, C. (2022). Percepção dos professores de Enfermagem acerca do uso de Metodologias Ativas. Docent Discunt, 2(2), 106–117. https://doi.org/10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v2.n2.p106-117 (Original work published 31º de dezembro de 2021)

Resumo

Os estudos sobre metodologias ativas afirmam que métodos mais dinâmicos de ensino contribuem para a formação de alunos autônomos no seu processo de ensino-aprendizagem. A utilização dessas práticas metodológicas contribui no processo integrativo dos aprendizes e na formação do pensamento crítico e reflexivo. Diante do exposto a pesquisa em questão, de caráter qualitativo, é parte de uma dissertação de mestrado em educação que está sendo desenvolvida nos anos de 2019 e 2021, na qual aborda-se o uso das metodologias ativas no curso superior em enfermagem e visa verificar a importância de práticas ativas nesse curso de graduação e seus reflexos sobre a formação do docente enfermeiro do ensino técnico, visto que os enfermeiros professores, na maioria dos casos, não possuem formação pedagógica para executar atividades docentes. Como instrumento de coleta de dados foi utilizado entrevistas com professores enfermeiros, questionário com os alunos da graduação de enfermagem e grupo com docentes enfermeiros da Educação Profissional Técnica. A pesquisa está sendo realizada no Vale do Paraíba, região do interior do Estado de São Paulo. Para análise dos dados será utilizado os núcleos de significação.

https://doi.org/10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v2.n2.p106-117
PDF

Referências

AGUIAR, W. M. J.; OZELLA, S. Apreensão dos sentidos: aprimorando a proposta dos núcleos de significação. Rev. Bras. Estud. Pedagog., Brasília, v. 94, n. 236, p. 299-322, abr. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbeped/a/Y7jvCHjksZMXBrNJkqq4zjP/?lang=pt# Acesso em: 26 de dez., 2021.

BACICH, L.; MORÁN, J. Metodologias para uma educação inovadora: Uma abordagem teórico e prática. Porto Alegre: Penso Editora LTDA, 2018.

BENITO, G. A. V.; TRISTÃO, K. M.; PAULA, A. C. S. F. de; SANTOS, M. A. dos; ATAIDE, L. J.; LIMA, R. de C. D. Desenvolvimento de competências gerais durante o estágio supervisionado. Rev. Bras. Enferm., v. 65, n. 1, p. 172-178, jan.-fev. 2012. https://doi.org/10.1590/S0034-71672012000100025

BORGES, T. S; ALENCAR, G. Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, v. 3, n. 4, p. 119-143, jul.-ago. 2014. Disponível em: https://www.ea2.unicamp.br/mdocs-posts/metodologias-ativas-na-promocao-da-formacao-critica-do-estudante-o-uso-das-metodologias-ativas-como-recurso-didatico-na-formacao-critica-do-estudante-do-ensino-superior/ Acesso em: 26 dez., 2021.

BULGRAEN, V. C. O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Revista Conteúdo, Capivari, v. 1, n. 4, p. 30-38, dez. 2010. Disponível em: http://www.moodle.cpscetec.com.br/capacitacaopos/mstech/pdf/d3/aula04/FOP_d03_a04_t07b.pdf Acesso em: 26 dez., 2021.

CRUZ, J .M. O. Processo de ensino-aprendizagem na sociedade da informação. Educ. Soc, Campinas, v. 29, n. 105, p. 1023-1042, set.-dez. 2008. https://doi.org/10.1590/S0101-73302008000400005

CYRINO, E. G; TORALLES-PEREIRA, M. L. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, p. 780-788, jun. 2004. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2004000300015

PERINI, R. L.; FONSECA, T. A.; GNAP, C. I. Estratégias de metodologia ativa e a construção do profissional crítico e reflexivo. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL PESSOA ADULTA, SAÚDE E EDUCAÇÃO, 2017, Porto Alegre. Anais [...] Porto Alegre: [s.n.], 2017. p. 1-11. Disponível em: https://editora.pucrs.br/edipucrs/acessolivre/anais/sipase/assets/edicoes/2018/arquivos/41.pdf Acesso em: 26 dez., 2021.

HAYDT, R. C. C. Curso de didática geral. 1.ed. São Paulo: Ática, 2011.

HAUSCHILD, L. P.; VIVIAN, D. As metodologias ativas e o seu impacto na área do ensino. Lageado: Univates, 2017. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/2023/1/2017LuisPauloHauschild.pdf Acesso em: 03 ago. 2020.

MELLO, C. C. B; ALVES, R. O; LEMOS, S. M. A. Metodologias de ensino e formação na área da saúde: revisão de literatura. Rev. CEFAC, São Paulo, v. 16, n. 6, p.2015-2028, dez. 2014. https://doi.org/10.1590/1982-0216201416012

MITRE, S. M.; SIQUEIRA-BATISTA, R.; GIRARDI-DE-MENDONÇA, J. M.; MORAIS-PINTO, N. M. de; MEIRELLES, C. de A. B.; PINTO-PORTO, C.; MOREIRA, T.; HOFFMANN, L. M. A. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debater atuais. Ciência e saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, dez. 2008. https://doi.org/10.1590/S1413-81232008000900018

MORÁN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. In: Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens. SOUZA, C. A.; MORALES, O. E. T. (Orgs.). Ponta Grossa: Foca Foto-PROEX/UEPG, 2015. v. 2. Coleção mídias contemporâneas.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características usos e possibilidades. Caderno de pesquisa em administração, São Paulo, v. 1, n. 3, 2. sem. 1996. Disponível em: https://www.hugoribeiro.com.br/biblioteca-digital/NEVES-Pesquisa_Qualitativa.pdf Acesso em: 26 dez., 2021.

RODRIGUES, M. T. P.; SOBRINHO, J. A. C. M. Enfermeiro professor: um diálogo com a formação pedagógica. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 59, n. 3, p. 456-459, maio-jun. 2007. https://doi.org/10.1590/S0034-71672007000400019

SCHNEIDER, E. I.; SUHR, I. R. F.; ROLON, V. E. K.; ALMEIDA, C. M. Sala de aula invertida em EAD: uma proposta de blended learning. Revista Intersaberes, Curitiba, v. 8, n. 16, p. 68-81, jul.-dez. 2013. https://doi.org/10.22169/INTERSABERES.V8I16.499

SCHLIEMANN, A. L; ANTÔNIO, J. L. Metodologias ativas na Uniso: formando cidadãos participativos. Sorocaba: Eduniso, 2016.

SILVA, D. L. F. C. O docente na área da saúde: a formação pedagógica para o enfermeiro. Taubaté, 2019. 114f. Dissertação (Mestrado em educação) - Universidade de Taubaté, Taubaté, 2019.

SILVA, R. S.; PAIXÃO, G. P. N.; LINS, D. B.; JESUS, R. A.; PEREIRA, A. Estudo de caso como uma estratégia de ensino na graduação: percepção dos graduandos em enfermagem. Rev. Cuid., Bucaramanga, v. 5, n. 1, p. 606-612, jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2216-09732014000100004&lng=en&nrm=iso Acesso em: 01 out. 2021.

SOBRAL, F. R.; CAMPOS, C. J. G. Utilização de metodologia ativa no ensino e assistência de enfermagem na produção nacional: revisão integrativa. Revista Escola de Enfermagem USP, São Paulo, v. 46, n. 1, p. 208-218, fev. 2012. https://doi.org/10.1590/S0080-62342012000100028

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento de teoria fundamentada; tradução Luciane de Oliveira Rocha. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SUHR, I. R. F. Desafios no uso da sala de aula invertida no ensino superior. Revista Transmutare, Curitiba, v. 1, p. 4-21, 2016. https://doi.org/10.3895/rtr.v1n1.3872

TAKAHASHI, R. T; FERNANDES, M. F. P. Plano de Aula: conceitos e metodologia. Acta Paul Enf., São Paulo, v. 17, n. 1, p. 114-118, 2004. Disponível em: https://acta-ape.org/en/article/plano-de-aula-conceitos-e-metodologia/ Acesso em: 26 dez., 2021.

TEÓFILO, T. J. S.; DIAS, M. S. A. Concepções de docentes e discentes acerca de metodologias de ensino aprendizagem: análise do caso de curso de enfermagem da universidade estadual Vale do Acaraú em Sobral – Ceará. Interface, Comunicação em educação, Botucatu, v. 13, n. 30, p. 137-151, jul.-set. 2009. https://doi.org/10.1590/S1414-32832009000300012

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Docent Discunt

Downloads

Não há dados estatísticos.