RELAÇÃO ENTRE O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
pdf

Palavras-chave

educação infantil
planejamento pedagógico
desenvolvimento coletivo e social early childhood education
educational planning
cognitive and social development

Como Citar

Silva, S. de O. A. (2021). RELAÇÃO ENTRE O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO E A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA BREVE REVISÃO CRONOLÓGICA. Docent Discunt, 1(2), 95–107. https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n2.p95-107

Resumo

O objetivo deste texto é discorrer sobre a relação entre o desenvolvimento cognitivo da criança e o trabalho pedagógico na educação infantil. Trata-se de uma pesquisa documental, de revisão de literatura, que relaciona textos políticos e acadêmicos. Para isto, levantaram-se questões relacionadas às pesquisas científicas na área de Educação Infantil levando em conta as políticas públicas educacionais e assistenciais. Tais conhecimentos indicam o contexto social e histórico do tema, considerando para essa discussão autores sobre desenvolvimento infantil e pesquisadores sobre a educação infantil. Os resultados indicam que o estudo sobre a criança pequena começam no início do século 20, embora só final deste século se tenha dado atenção a essa faixa etária, principalmente quanto ao atendimento educacional. No entanto, pesquisas revelam que há benefícios para o desenvolvimento da criança quando são considerados os estudos sobre seu desenvolvimento no planejamento pedagógico do professor para a construção de uma educação de qualidade.

https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n2.p95-107
pdf

Referências

BARBOSA, I. G.; SILVEIRA, T. A. T. M.; SOARES, M. A. A BNCC da educação infantil e suas contradições: regulação versus autonomia. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 25, jan/mai 2019, p. 77-90.

BARBOSA, M. C. S. Práticas cotidianas na Educação Infantil – bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Brasília: MEC, UFRGS, 2009a.

BARRETO, A. M. R. F. Situação atual da Educação Infantil no Brasil. In: BRASIL, Ministério da Educação e Cultura. Subsídios para credenciamento e funcionamento de instituições de Educação Infantil, v. 2. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: https://bit.ly/3b1XuDT. Acesso em: 14 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC / CONSED, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3tUf2ul. Acesso em: 13 fev. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CEB 5/2009. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Infantil. Brasília, 2009b.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, 1998, v. 1-3. Disponível em: https://bit.ly/2ZieS1C. Acesso em: 13 fev. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, 1996.

BRASIL. Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília, 1990.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 1988.

CAMPOS, M. M.; BHERING, E. B.; ESPOSITO, Y. GIMENES, N.; ABUCHAIM, B.; VALLE, R.; UNBEHAUM, S. A contribuição da Educação Infantil e seus impactos no início do Ensino Fundamental. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 1, jan/abr 2011a, p. 15-33.

CAMPOS, M. M. A mulher, a criança e seus direitos. Cadernos de Pesquisas, n. 106, mar 1999, p. 117-127. Disponível em: https://bit.ly/37bLHlr. Acesso em: 13 fev. 2021.

CAMPOS, R. Políticas governamentais e Educação Infantil: histórias ou estórias? Zero-a-Seis, Florianópolis, v. 4, n. 5, jan./jul. 2002, p. 21-31. Disponível em: https://bit.ly/3b0ytJu. Acesso em: 13 fev. 2021.

CERISARA, A. B. A produção acadêmica na área da Educação Infantil com base na análise de pareceres sobre o Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil: primeiras aproximações. In: FARIA, A. L. G.; PALHARES, M. S. (Orgs.). Educação Infantil pós-LDB: rumos e desafios. 5ª ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

FARIA, A. L. G. A contribuição dos parques infantis de Mário de Andrade para a construção de uma pedagogia da educação infantil. Educação & Sociedade, a. XX, n. 69, dez 1999.

FILÓCOMO, D. A gênese da educação especial – a contribuição dos parques infantis da cidade de São Paulo: 1947 a 1957. 2005. 107f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade São Francisco, Itatiba, 2005.

GATTI, B. A. et al. A formação de professores no Brasil. Estudos e Pesquisas Fundação Vitor Civita. 2008. Disponível em: https://bit.ly/3peIqI5. . Acesso em: 15 mar. 2019.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, out./dez. 2010, p. 1355-1379.

KISHIMOTO, T. M. Encontros e desencontros na formação dos profissionais de educação infantil. In: MACHADO, M. L. A. (Org.). Encontros e desencontros em educação infantil. 3ª Ed. São Paulo: Cortez, 2008.

KRAMER, S. Propostas pedagógicas ou Curriculares de Educação Infantil: para retomar o debate. Pro-posições, Campinas, v. 13, n. 2(38), mai/ago 2002, p. 65-82.

KRAMER, S. As crianças de 0 a 6 anos nas políticas educacionais no Brasil: Educação Infantil e/é fundamental. Educação e Sociedade, Campinas, v. 27, n. 11, out 2006, p. 797-818.

KUHLMANN JR., M. Educação Infantil e Currículo. In: FARIA, A. L. G.; PALHARES, M. S. (Orgs.). Educação Infantil pós-LDB: rumos e desafios. 5ª Ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

OLIVEIRA, Z. M. R. de. O currículo na educação infantil: o que propõem as novas diretrizes nacionais? In: SEMINÁRIO NACIONAL: Currículo em Movimento – Perspectivas Atuais, 1. Anais... Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://bit.ly/3phCa2n. Acesso: 07 jun. 2019.

PATTO, M. H. S. A família pobre e a escola pública: anotações sobre um desencontro. Psicologia USP, São Paulo, v. 3, n. 1-2, , 1992, p. 107-121.

PENIN, S. T. S. Educação Básica: a construção do sucesso escolar. Em Aberto, Brasília, v. 11, n. 53, jan/mar 1992, p. 3-12.

ROSEMBERG, F. Do embate para o debate: educação e assistência no campo da Educação Infantil. In: MACHADO, M. L. A. (Org.). Encontros e desencontros em Educação Infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

SÃO PAULO. Secretaria Municipal de Educação.. Currículo da cidade: Educação Infantil. São Paulo, 2019.

SILVA, S. O. A. A educação infantil no Brasil: desenvolvimento e desafios ao longo da história. , São Paulo, v. 4, n. 1, jun 2014, p. 16-35.

SILVA, S. O. A. Políticas da Educação Infantil e o ensino da matemática. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação: Psicologia da Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

SOUZA, I. G. C. Subjetivação docente: a singularidade constituída na relação entre o professor e a escola. 2012. Tese (Doutorado em Educação: Psicologia e Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

SEVERINO, A. J. O projeto político-pedagógico: a saída para a escola. Revista de Educação AEC, Brasília, v. 27, abr/jun1998, p. 107, p. 81-90.

TAGGART, B.; SYLVA, K.; MELHUISH, E.; SAMMONS, P.; SIRAJ-BLATCHFORD, I. O poder da pré-escola: evidências de um estudo longitudinal na Inglaterra. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 41, n. 142, jan/abr 2011, p. 68-99.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 3ª ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

VEER, R. V.; VALSINER, J. Vygotsky: uma síntese. 3ª ed. São Paulo: Loyola, 1999.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

WIGGERS, V. Aportes teóricos e metodológicos que subsidiam as orientações curriculares na Educação Infantil. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32. Anais... Caxambu, 2009. Disponível em: https://bit.ly/3aghBza. Acesso em: 25 out. 2019.

Downloads

Não há dados estatísticos.