Ensaio sobre formação docente para a diversidade

Docência e inclusão

Autores

  • Heloisa Gotardo Bedendo Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Jéssica Regina da Mota Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Juliana Delpasso Bistrican Sampaio Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Luciana Guerra Pereira Cotti Costa Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Marina Rocha Abrami Menecucci Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Valéria Aparecida de Araújo Universidade de Taubaté (UNITAU)
  • Suelene Regina Donola Mendonça Universidade de Taubaté (UNITAU)

DOI:

https://doi.org/10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v3.n1.p67-78

Palavras-chave:

Formação docente, Educação inclusiva, Defectologia

Resumo

Este ensaio é o resultado de um trabalho desenvolvido na disciplina de Práticas Inclusivas da turma de Mestrado Profissional em Educação da Universidade de Taubaté (UNITAU). O texto discorre sobre a formação docente para a diversidade com a temática da docência e inclusão. O estudo teve como objetivo analisar e discutir com base em uma revisão sistemática de literatura como está sendo o processo formativo dos docentes para inclusão, com ênfase em alunos público-alvo da educação especial. Para a fundamentação teórica analisamos literaturas que discorrem sobre o assunto proposto como Bourdieu, Bueno, Carmo, Glat, Grassi, Freire, Roldão, Ross, Soares, Tardif e Vigotski, além de documentos oficiais como Declaração de Salamanca, Programa Educação Inclusiva e Declaração Mundial de Educação para Todos. Na sociedade atual, em que o multiculturalismo e a diversidade ganham espaços para discussões, a escola – em especial a formação docente – precisa se reorganizar em uma mudança que envolva a práxis pedagógica, em um ensino no qual o docente é o mediador do conhecimento e o aluno seja, juntamente com o professor, protagonista do processo de ensino-aprendizagem. O ato de ensinar precisa de mediação juntamente com a construção de uma sociedade verdadeiramente democrática, em que o acesso e permanência na escola seja para todos os alunos, independentemente de apresentarem deficiência ou não. A “educação para todos”, apesar de propor igualdade de direitos, acesso e permanência, ainda é seletiva, na medida em que as camadas menos favorecidas da sociedade não conseguem proporcionar aos seus filhos uma educação que lhes proporcione conhecimentos e habilidades básicas, sendo que as políticas públicas referentes à educação e à inclusão educacional precisam ser urgentemente revistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOURDIEU, P. Os excluídos do interior. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Orgs.). Escritos de educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

BUENO, J. G. S. As políticas de inclusão escolar: uma prerrogativa da educação especial? In: BUENO, J. G. S., MENDES, G. M.L., SANTOS, R. A. (Orgs.). Deficiência e escolarização: novas perspectivas. Araraquara, SP: Junqueira e Marin; Brasília: Capes, 2008.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, DF, 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm>. Acesso em: 1 mai. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Programa Educação Inclusiva: direito à diversidade. Brasília, 2006. Disponível em: https://www.gov.br/mec/pt-br Acesso em: 2 mai. 2021.

CARMO, B. C. M et al. Políticas públicas educacionais e formação de professores: convergências e distanciamentos na área de Educação Especial. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 32, 2019. https://doi.org/10.5902/1984686X39223

CONFERÊNCIA MUNDIAL DE EDUCAÇÃO PARA TODOS. Declaração mundial sobre educação para todos. Jomtien: Unesco,1990.

CONFERÊNCIA MUNDIAL SOBRE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS. Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: Corde, 1994.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (CNE). Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: MEC, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf Acesso em: 2 mai. 2021.

GATTI, B. A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e políticas educacionais. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, 2014. https://doi.org/10.18222/eae255720142823

GLAT, R. Capacitação de professores: pré-requisitos para uma escola aberta à diversidade. Revista Souza Marques, Rio de Janeiro, v. 1, p. 16-23, 2000.

GLAT, R.; NOGUEIRA, M. L. Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Revista Integração, Brasília, v. 14, n. 24, p. 22-27, 2003. https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v10n1p134-142

GRASSI, T. M. A inclusão e os desafios para a formação de docentes: uma reflexão necessária. Caderno temático sobre inclusão. Curitiba: Secretaria de Estado de Educação do Paraná, 2008. Disponível em http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1376-8.pdf Acesso em: 2 mai. 2021.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

ROLDÃO, M. do C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, p. 94-103, 2007. https://doi.org/10.1590/S1413-24782007000100008

ROSS, P. R. Conhecimento e aprendizado cooperativo na inclusão. Educar em Revista, Curitiba, n. 23, p. 203-224, 2004. https://doi.org/10.1590/0104-4060.339

SOARES, M. A escrita no currículo e o “Efeito Matheus”. In: LOPES, A. R.; MACEDO, E. F. de; ALVES, M. P. C. (Orgs.). Cultura e política de currículo. Araraquara: Junqueira & Marin, 2006. p. 3-72.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 17. ed. Petrópolis, RJ: Vozes. 2014.

VIGOTSKI, L. S. A defectologia e o estudo do desenvolvimento e da educação da criança anormal. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 4, p. 861-870, 2011. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000400012

VIGOTSKI, L. S. Obras completas: fundamentos da defectologia. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1989. V. 5.

Downloads

Publicado

2022-10-03

Como Citar

BEDENDO, H. G.; MOTA, J. R. da; SAMPAIO, J. D. B.; COSTA, L. G. P. C.; MENECUCCI, M. R. A. .; ARAÚJO, V. A. de; MENDONÇA, S. R. D. Ensaio sobre formação docente para a diversidade: Docência e inclusão. Docent Discunt, Engenheiro coelho (SP), v. 3, p. 67–78, 2022. DOI: 10.19141/2763-5163.docentdiscunt.v3.n1.p67-78. Disponível em: https://revistas.unasp.edu.br/rdd/article/view/1513. Acesso em: 23 jun. 2024.