UM OLHAR QUALITATIVO SOBRE AS PARCERIAS LATENTES EM PROJETOS EDUCATIVOS
pdf

Como Citar

Rodrigues, A. R., Marques, C., Reis, H., & Maia, M. (2020). UM OLHAR QUALITATIVO SOBRE AS PARCERIAS LATENTES EM PROJETOS EDUCATIVOS. Docent Discunt, 1(1), 45-62. https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n1.p45-62

Resumo

Este artigo retrata uma análise de projetos educativos de agrupamentos de escolas públicas, escolas privadas e profissionais de um concelho situado no centro de Portugal com o intuito de compreender se os documentos espelham uma escola aberta à comunidade. Assim, pretende-se verificar se decorridos vários anos da existência de projetos educativos nas escolas, tais documentos refletem as parcerias com a comunidade e as operacionalizam. Trata-se, portanto, de um estudo de caso que se centra na análise de doze projetos educativos. A análise de conteúdo teve por recurso o software webQDA. Verificou-se a impossibilidade de realizar uma linha de análise vertical, comum a todo o corpus documental, dada a sua heterogeneidade estrutural. No entanto, pôde-se concluir que a existência de parcerias com a comunidade, ou a sua operacionalização, não são uma preocupação plasmada na generalidade dos projetos educativos analisados.

 

https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n1.p45-62
pdf

Referências

AFONSO, A., ESTEVÃO, C., CASTRO, R. Projectos Educativos, Planos de Actividades e Regulamentos Internos: Avaliação de uma Experiência. Porto: ASA, 1999.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

BARROSO, J. Relatório Global da Primeira Fase do Programa de Avaliação Externa. Lisboa, 2001

BREMER, J., MOSHZISKER, M. V. Escola sem Muros: a revolução Pedagógica o Programa Parkway de Fila. São Paulo: Ibrasa, 1975.

COSTA, J. A. O projecto educativo da escola e as políticas educativas locais : Discursos e Práticas. Aveiro:UA Editora, 1997.

_________. Projectos educativos das escolas: um contributo para a sua (des)construção. Educação & Sociedade, v. 24, n. 85, dezembro/2003, p. 1319–1340.

_________.. Construção de projectos educativos nas escolas: traços de um percurso debilmente articulado. Revista Portuguesa de educação, v. 17, n. 2, 2004, p. 85–114.

COUTINHO, C. P. Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas: Teoria e Prática, 2ª ed. Lisboa: Almedina S.A, 2019.

Decreto-Lei n.º 43/89 de 3 de fevereiro, Diário da República n. 29/1989, Série I de 1989-02-03.

Decreto-Lei n 172/91 de 10 de maio, Diário da República n. 107/1991, Série I-A de 1991-05-10.

Decreto-Lei n. 115-A/98 de 4 de maio, Diário da República n. 102/1998, 1º Suplemento, Série I-A de 1998-05-04.

Decreto-Lei n. 6/2001 de 18 de janeiro, Diário da República n. 15/2001, Série I-A de 2001-01-18.

Decreto-Lei n. 75/2008 de 22 de abril, Pub. L. n. 79, Diário da República, Série I-A — n. 79 2341.

Decreto-Lei n. 224/2009, Diário da República n. 177/2009, Série I de 2009-09-11.

Decreto-Lei n. 137/2012 de 2 de julho, Diário da República n. 126/2012, Série I de 2012-07-02.

DELGADO, J. M., MARTINS, É. Autonomia, Administração e Gestão das Escolas Portuguesas 1974-1999: Continuidade e Rupturas. Lisboa: Ministério da Educação, 2001.

Despacho n. 8/SERE/89 de 3 de Fevereiro, publicado a 8 de Fevereiro de 1989, Diário da República - II Série, n.º 32 Suplemento, de 08.02.1989.

DIAS, M. O. O vocabulário do desenho de investigação: A lógica do processo em Ciências Sociais. Viseu: Psico & Soma, 2009.

FORMOSINHO, J. A renovação pedagógica numa administração burocrática centralizada. O Ensino, v. 7, n. 10, 1984, p. 101–107.

Lei de Bases do Sistema Educativo - Lei n.º 46/86 de 14 de outubro, Diário da República n. 237/1986, Série I de 1986-10-14.

LEITE, C., PRECIOSA, F., MOURAZ, A., SAMPAIO, M.. Parcerias entre a Escola e a Comunidade em Portugal: Uma Análise a partir da Avaliação Externa das Escolas. Revista Scielo, v. 58, n. 3, 2015, p. 825–855.

MAGALHÃES, P., MORGADO, J. C. O Território como espaço de novas aprendizagens. Revista de Estudios e Investigación en Psicología y Educación, v. 05, 2017, p. 5–7.

PARO, V. H. Crítica da estrutura da escola. São Paulo: Cortez, 2011.

QUIVY, R., VANCAMPENHOUDT, L. Manual de investigação em ciências sociais, 5ª ed.. Lisboa: Gradiva, 2008.

SIMON, H. As ciências do Artificial. Coimbra: Arménio Amado, 1981.

YIN, R. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos, 5ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.

Copyright (c) 2020 Docent Discunt

Downloads

Não há dados estatísticos.