REPERCUSSÕES DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (PARFOR) NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DOCENTE SOB O OLHAR DO ESTUDANTE DE PEDAGOGIA
pdf

Palavras-chave

parfor
pedagogia
formação docente

Como Citar

Zukowsky Tavares, C., Keller-Franco, E., Karoline de Carvalho, D., Oliveira de Araújo, C., & Ribeiro Costa Leite, E. (2020). REPERCUSSÕES DO PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA (PARFOR) NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DOCENTE SOB O OLHAR DO ESTUDANTE DE PEDAGOGIA. Docent Discunt, 1(1), 18-34. https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n1.p18-34

Resumo

O estudo propõe avaliar a repercussão do Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica (PARFOR) na formação docente de concluintes do curso de pedagogia de um Centro Universitário em São Paulo. O estudo de natureza qualitativa teve como instrumento de coleta de dados um questionário que envolveu questões abertas objetivando caracterizar o perfil dos participantes, suas perspectivas profissionais, contribuições recebidas em processo e encaminhamentos que realizam ao curso formador. Para a análise dos dados, as respostas dos participantes foram organizadas em três eixos temáticos que passaram a nortear a discussão dos resultados da pesquisa em diálogo com a literatura específica da área. Os resultados expressam contribuições da formação na visão de mundo e educação dos pesquisados, destacando-se também a satisfação com o reconhecimento e valorização profissional almejado ao receberem o título de “professores”.

https://doi.org/10.19141/docentdiscunt.v1.n1.p18-34
pdf

Referências

BRASIL. Decreto 6755, de 29 de janeiro de 2009. Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, jan. 2009.

BRASIL. Lei n. 12.056, de 13/10/2009: acrescenta parágrafos ao art. 62 da Lei nº 9394, de 20/12/1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

BRASIL/MEC. Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica – PARFOR. Brasília, DF, 28/05/2009.

BRASIL/MEC. Portaria Normativa n.9, de 30/06/2009: institui o Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica no âmbito do Ministério da Educação.

Brasil/MEC/CAPES. Fóruns Estaduais de apoio à formação docente: orientações para sua organização. Brasília, setembro, 2009.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de Janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação (2001-2010).

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB n. 2, de 28 de maio de 2009. Fixa as Diretrizes Nacionais para os Planos de Carreira e Remuneração dos Profissionais do Magistério da Educação Básica Pública.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP). Estudo exploratório sobre o professor brasileiro: com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007. Brasília, DF: MEC/INEP, 2009.

BRZEZINSKI, I. Sujeitos Sociais Coletivos e a Política de Formação Inicial e Continuada Emergencial de Professores: Contradições Vs Conciliações. Educação & Sociedade, São Paulo, v. 35, n.129, out/dez 2014, p. 1241-1259.

CASTRO, M. Convergências e Tensões nas Propostas de 2009: Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica e Plano Nacional de Formação de Professores. In: Dalben, Ângela I. L.de F. (et al.). Convergências e tensões no campo da formação e do trabalho docente. Textos selecionados do XV ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

GATTI, B A. A. Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses. Educar em Revista, Curitiba, n. 50, out/dez 2013, p. 51-67. .

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. A.. Políticas Docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

KELLER-FRANCO, E.; BESSA, S.. Construindo Alternativas para a Formação Inicial de Professores: a percepção de estudantes de pedagogia sobre a abordagem curricular integrada. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 15, n. 1, jan/mar 2017, p. 153-176.

PASSOS, L. F. Políticas Docentes no Brasil: Um Estado da Arte. Resenha. Caderno de Pesquisa, v. 42, n. 145, jan/abr 2012, p. 298-329.

SCHEIBE, L. Valorização e formação dos professores para a educação básica: questões desafiadoras para um novo plano nacional de educação. Educação e Sociedade, v. 31, n. 112, jul/set 2010, p. 981-1000.

OLIVEIRA, D. A. A nova regulação de forças no interior da escola: carreira, formação e avaliação docente. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 27, n. 1, jan/abr 2011, p. 25-38.

SILVA, L. M.; BRIZOLLA, F.; SILVA, L. E. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências da UFPR Litoral: desafios e possibilidades para uma formação emancipatória. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 94, n. 237, mai/ago 2013, p. 524-541.

SOUZA, V. C. Política de formação de professores para a educação básica – a questão da igualdade. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 58, jul./set., 2014.

Copyright (c) 2020 Docent Discunt

Downloads

Não há dados estatísticos.