Estudo sobre a morte em Lucas 16:19-31
PDF

Palavras-chave

Rico e Lázaro
Parábolas de Jesus
Lucas 16
19-31
Hades
Imortalidade da alma

Como Citar

Aguiar, A., & Barros, D. (2013). Estudo sobre a morte em Lucas 16:19-31. Kerygma, 9(1), 131-144. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/99

Resumo

Este artigo tem como objetivo verificar a plausibilidade da crença na imortalidade inerente da alma a partir da leitura da parábola do homem rico e Lázaro, contidaem Lucas 16. Para tanto, o cenário histórico é remontado a partir de uma leitura de textos judaicos e greco-romanos da época e da análise linguístico-cultural, especificamente do termo hades, utilizado em Lc 16:23. Com base nos dados bibliográficos que ampararam esta pesquisa, conclui-se que autores deste século e do século passado concordam que não pode ser extraída uma base doutrinária para a imortalidade inerente da alma a partir dessa narrativa nem, sequer, um endosso da mesma.

PDF

Referências

ALLAND, K. et al. O Novo Testamento Grego: com introdução em português e dicionário grego-português. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2009.

BACCHIOCCHI, S. Imortalidade ou ressurreição? Uma abordagem bíblica sobre a natureza humana e o destino eterno. Engenheiro Coelho: Imprensa Universitária Adventista, 2007.

BARCLAY. W. The gospel of Luke. Philadelphia: The Westminster Press, 2000.

BEYREUTHER, E. ευϕραίνω In: COENEN, L.; BROWN, C. Dicionário

internacional de Teologia do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 2000. v. 1.

BOCK, D. L. Luke. Grand Rapids: Baker Books, 1996. v. 2.

BOCK, D. L. The parable of the rich man and Lazarus and the ethics of Jesus. Southwestern Journal of Theology, v. 40, n. 1, p. 63-72, 1997.

CAIRUS, A. E. The rich man and Lazarus: an apocryphal interpolation? Journal of Asia Adventist Seminary, v. 9, n.1, p. 35-45, 2006.

CARSON, D. A. Introdução ao Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1997.

GILMOUR, M. J. Hints of homer in Luke 16:19-31? Didaskalia, v. 10, n. 2, p. 23-33, 1999.

HASTINGS, J. (Ed.). A dictionary of Christ and gospels. Honolulu, Hawai:

University Press of the Pacific, 2004. v. 1.

HOCK, R. F. Lazarus and Micyllus: greco-roman backgrounds to Luke 16:19-31. Journal of Biblical Literature, v. 106, n. 3, p. 447-463.

JEREMIAS, J. As parábolas de Jesus. São Paulo: Paulus, 1986.

JOSEPHUS. Discourse to the greeks concerning Hades. In: Jos ephus Complete Works. Whiston: Grand Rapids, 1974

KARRIS, R. J. In: BROWN, R. E. et al. (Eds.). Novo comentário bíblico São Jerônimo: Novo Testamento. São Paulo: Academia Cristã; Paulus, 2011.

LANGNER, C. Lc 16,19-31: El rico y Lázaro el pobre. Revista Bíblica Mexicana, v. n. 36, p. 105-122, 2004.

MATHEWS, S. Bossom of Abraham. In: HASTINGS, J. A dictionary of the Bible, dealing with the language, literature and contents, including the Biblical theology. New York: Scribner, 1909.

NICHOL, F. D. et al. Comentario biblico adventista del séptimo dia. Buenos Aires: Asociacion Casa Editora Sudamericana 1995. v. 2.

ORR, J. The international standard Bible encyclopedia: 1915 Edition. Albany: Ages Software, 1999.

PLUMMER, A. A critical and exegetical commentary on the gospel according to S. Luke. London: T&T Clark International, 1896.

RICHARDS, L. O. Comentário histórico-cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2007.

SCHNELLE, U. Teologia do Novo Testamento. Santo André: Academia Cristã/São Paulo: Paulus, 2010.

SCHOTTROFF, L. As parábolas de Jesus: uma nova hermenêutica. São Leopoldo: Sinodal, 2007.

SMITH, W. Bosom of Abraham. In: Dr’s William Smith’s dictionary of

the Bible: compreing its antiquities, biographies and natural history. New York: Riverside Press, 1869. v. 2.

SNODGRASS, K. Compreendendo todas as parábolas de Jesus: guia completo. Rio de Janeiro: Casa Publicadora das Assembleias de Deus, 2010.

SCHOTTROFF, L. As parábolas de Jesus: uma nova hermenêutica. São Leopoldo: Sinodal, 2007.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.