Cosmological speculations: the alleged influence of philo in early christian philosophy
PDF

Palavras-chave

Filo de Alexandria
Apologistas
Helenismo
Filosofia grega
Planotismo
Especulações cosmológicas.

Como Citar

Zukowski, J., & Paroschi, K. (2017). Cosmological speculations: the alleged influence of philo in early christian philosophy. Kerygma, 12(1), 37–44. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/861

Resumo

O principal objetivo desse artigo é demonstrar a influência de Filo de Alexandria sobre as especulações cosmológicas na filosofia do cristianismo primitivo. Um judeu conhecedor do pensamento grego clássico, Filo criou um precedente para a fusão da religião com o Helenismo. Quando apologistas cristãos sentiram a necessidade de defender sua fé ao mundo pagão, eles utilizaram métodos e ideias já conhecidas a seus leitores, a filosofia grega. Este artigo compara a reinterpretação de Filo do platonismo com o uso do dualismo platônico dos principais pais da igreja em suas diferentes formas a fim de mostrar a extensão da influência de Filo sobre a visão de Deus cristã.

PDF

Referências

BARNARD, L. W. St. Justin Martyr: first and second apologies. New York: Paulist, 1997.

BORGEN, P. Philo of Alexandria. In: STONE, M. E. (Ed.). Jewish writings of the Second Temple period. Philadelphia: Fortress, 1984.

CHADWICK, H. Early Christian thought and the classical tradition. New York: Oxford University, 1966.

CROSS, F. L.; LIVINGSTONE, A. E. Philo. In: CROSS, F. L.; LIVINGSTONE, A. E. (Eds.). The Oxford dictionary of the Christian Church. New York: Oxford University, 1997.

FLUSSER, D. Judaism of the Second Temple period. Grand Rapids: William B. Eerdmans, 2009. v. 2.

HATCH, E. The influence of Greek ideas and usages upon the Christian Church. Peabody: Hendrickson, 1995.

MORRIS, J. The Jewish Philosopher Philo. In: SCHÜRER, E. The history of the Jewish people in the Age of Jesus Christ. Edinburgh: T&T Clark, 1987. v.3.

SANDMEL, S. Judaism and Christian beginnings. New York: Oxford University, 1978.

SCHOLER, D. The works of Philo. Peabody: Hendrickson, 1997.

WOLFSON, H. A. The philosophy of the church fathers: faith, trinity and incarnation. Massachussetts: Harvard University, 1976.

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.