O ministério de recepção: definição, realidade e relevância nas programações da igreja
PDF

Palavras-chave

ministério de recepção
integração
membros
igreja.

Como Citar

Vasques, G., & Evangelista, T. (2007). O ministério de recepção: definição, realidade e relevância nas programações da igreja. Kerygma, 3(1), 52. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/280

Resumo

O objetivo dessa pesquisa é definir o ministério de recepção, averiguar seu funcionamento nas igrejas adventistas, mostrar sua relevância para as programações eclesiásticas e propor um modelo de recepção ideal. O estudo apresenta também uma pesquisa de campo com algumas igrejas adventistas de médio porte do interior de São Paulo. Conclui-se que esse ministério tem a função de integrar os novos membros na comunidade local, bem como de proporcionar aos membros mais experientes o senso de que pertencem à igreja.
PDF

Referências

Gibbs, Eddie. I Believe in Church Growth. Grand Rapids/MI: William B. Eerdmans Publishing any, 1981.

Hadaway, C. Kirk. Church Growth Principles: separating fact from fiction. Nashville/TN: Broadman Press, 1991.

Laurie, Greg. A Igreja que Abala o Mundo. Trad. Célia Regina Chazanas Clavello. Campinas/SP: Editora United Press, 2002.

Logan, Robert E. Beyond Church Growth: actioRapids/MI: Baker Book House, 1989.

O Ministério de Recepção: coordenador. Artur Nogueira/SP: União Central Brasileira.

Parrott, Leslie. The Greeter’s Manual: a guide for warm-hearted churches. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1993.

Russell, Bob e Russell, Rusty. Umas Igreja de Sucesso: 10 princípios bíblicos testados e aprovados. Trad. Bruno G. Destefani. São Paulo: Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, 2003.

Schaller Lyle E. Growing Plans: strategies to increase your church’s membership. Nashville/TN: Abington Press, 1983.

Weld, Wayne e McGavran, Donald A. Principles of Church Growth. Passadena/CA: William Carey Library, 1974.

White, Ellen G. Serviço Cristão. Santo André/SP: Casa Publicadora Brasileira, 1984.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.