A ética na filosofia de Friedrich Nietzsche
PDF

Palavras-chave

cristianismo
ética
filosofia
Friedrich Nietzsche
imortalidade de Deus.

Como Citar

Barros, A. T. (2008). A ética na filosofia de Friedrich Nietzsche. Kerygma, 4(1), 45–51. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/250

Resumo

O presente artigo delineia um comparativo entre as implicações da aceitação do cristianismo pela sociedade e a não-aceitação do mesmo, defendida por Friedrich Nietzsche. Para essa análise é imprescindível se deter nos principais aspectos dos ideais do cristianismo e dos ideais amparados por Nietzsche. Tal análise possibilita a conclusão sobre as contribuições que a sociedade e o indivíduo podem usufruir ao optar por rejeitar o cristianismo ou então aceitá-lo.

PDF

Referências

CRAIG, Willian L., A veracidade da fé cristã, São Paulo: Vida Nova, 2004.

CUNHA, Mariana P. S., “Sucedâneos à ética clássica: reflexões sobre o agir humano e o além do homem nietzschiano” in Trans/Form/Ação, São Paulo, 2005.

DINIS, Nilson F., “Nobreza e servidão em Nietzsche: um desafio ético para a Psicologia Social” in Interação em Psicologia, Curitiba, 2003.

GAARDER, Jostein, O mundo de Sophia: romance da história da filosofia, São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GEISLER, Norman L., Ethics: alternatives and issues, Grand Rapids, MI: Zondervan Publishing House, 1971.

GONZÁLES, Leopoldo J. F., “A estética da vitória na filosofia de Nietzsche” in Fragmentos de cultura, vol 10, n.4, Goiânia, jul/ago de 2000.

GRUNWALD,Henry, “The year 2000: is the End - Or Just the Beginning?” in Time, 30 de março de 1992.

NIETZSCHE, Friedrich, Beyond Good and Evil, Chicago: Henry Regnery Company, 1966

___________, “The Gray Science” in The Portable Nietzsche, Nova Yorque: Viking Press, 1954.

___________, El Anticristo, Madrid: Anaya editores S.A., 2003.

___________, Genealogia da Moral, São Paulo: Brasiliense, 1988.

___________, Thus Spoke Zarathustra, Nova Yorque: Viking Press, 1966.

OLIVEIRA, Cristina G. M., F. Nietzsche: a determinação de valor sob a óptica da vida, Rio de Janeiro: UFRJ. Dissertação de mestrado não publicada.

ROBERT , Jastrow, God and the Astronomers, Nova Yorque: Norton, 1978.

SUGIZAK, Eduardo, “A culpa, um debate entre a epistemologia da psicologia profunda e a teologia moral” in Fragmentos de cultura, vol. 15, n.1, Goiânia, jan. de 2005.

TUREK, Frank; Geisler, Norman. Não tenho fé suficiente para ser ateu, São Paulo: Editora Vida, 2006.

WOGAMAN, J. Philip, Christian Ethics: a historical introdution, Louisville, Kentucky: John Knox Press, 1993.

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.