A teoria da intertextualidade e as escrituras: definições e possibilidades

Autores

  • Felipe Alves Masotti
  • Paulo Alberto Barros Leite

Palavras-chave:

Intertextualidade, Bakhtin, Khristeva, diacrônico, sincrônico, exegese.

Resumo

Este artigo aborda a Teoria da Intertextualidade e o seu relacionamento com as Escrituras. Mikhail Bakhtin introduziu a visão dialógica da língua. Essa perspectiva serviu para a posterior sistematização da teoria por Júlia Khristeva. O estudo delineia a discussão no meio acadêmico geral acerca da teoria e a sua ocorrência nas Escrituras. Fez-se necessário ainda traçar considerações acerca dos dois modelos de análise inter textual do texto bíblico: o diacrônico e o sincrônico. As conexões textuais evidenciam a intertextualidade como intrínseca à natureza da língua. Essa evidencia é perceptível ao longo da trama textual bíblica. Assim, há uma sensível contribuição em observar e aplicar tais conceitos no processo da exegese bíblica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2009-09-18

Como Citar

Masotti, F. A., & Leite, P. A. B. (2009). A teoria da intertextualidade e as escrituras: definições e possibilidades. Kerygma, 5(2), 63–119. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/201

Edição

Seção

Artigos