Helenismo na patrística
PDF

Palavras-chave

Helenismo
Epicurismo
Estoicismo
Deus
Orígenes

Como Citar

Zukowski, J. C., & Alexandre, L. G. (2021). Helenismo na patrística: Epicurismo e Estoicismo na visão de Orígenes de Alexandria sobre Deus. Kerygma, 16(1), 53–64. https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v16.n1.p53-64

Resumo

As filosofias helênicas tiveram larga influência no mundo greco-romano. Teólogos da era patrística são um exemplo desse alcance helenístico até mesmo na teologia da igreja cristã primitiva. Orígenes, teólogo cristão do terceiro século, em seus escritos, apresenta conceitos ontológicos helenistas, que podem ser vistos na teologia oriental depois dele. O objetivo deste estudo é analisar a influência do epicurismo e o estoicismo, duas escolas filosóficas do helenismo, na visão de Deus de Orígenes e sua implicação na contemporaneidade. Para o desenvolvimento do presente trabalho foi utilizado o método de análise bibliográfica. Dentre os autores pesquisados destaca-se Geovanne Reale e Justo González. A pesquisa conclui que Orígenes foi influenciado pelo neoplatonismo, a filosofia corrente em Alexandria na sua época, sistematizada com bases estoicas. O neoplatonismo posteriormente influenciou Agostinho, e a teologia cristã latina medieval e atual.

https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v16.n1.p53-64
PDF

Referências

AUBENQUE, P.; BERNHARDT, J.; CHÂTELET, F. A filosofia pagã. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar

editores, 1981.

CAIRNS, E. O Cristianismo através dos séculos. P. 107-145: 3.ed. São Paulo: Vida Nova, 1998.

CANALE, F. Doutrina de Deus. In: DEREDEN, R. (Ed.). Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia. Tatuí: Casa Publicadora Brasileira, 2011.

CASTAGNOLA, L.; PANDOVANI, H. História da filosofia. 2 ed. São Paulo: Edições melhoramentos, 1956.

EUSÉBIO DE CESARÉIA. História eclesiástica. São Paulo: Novo século, 2002.

GEISLER, N.; FEINBERG, P. D. Introdução à filosofia: uma perspectiva cristã. São Paulo: Vida Nova, 1996.

GONZÁLEZ, J. L. História ilustrada do cristianismo. 2 ed. São Paulo: Vida Nova, 2011.

GONZÁLEZ, J. L. Uma história do pensamento cristão. São Paulo: Cultura Cristã, 2004;

O’KEEFE, T. Epicureanism. London; New York: Routledge, 2010.

KELLY. J. N. D. Patrística. São Paulo: Vida Nova, 2015.

MARCONDES, D. Iniciação à história da filosofia. 13 ed. Rio de Janeiro: Joege Zahar Ed., 2010.

MATOS, A. S. de M. C. A Phýsis como fundamento do sistema filosófico estóico. Kriterion, Belo Horizonte , v. 51, n. 121, p. 173-193, Jun. 2010.

MONDOLFO, R. O pensamento antigo. 2 ed. São Paulo: Editora Mestre Jou S.A, 1966.

ORÍGENES. Tratado sobre os princípios. São Paulo: Paulus, 2012.

REALE, G. História da filosofia. vol.1. São Paulo: Paulus, 2003.

RUSSEL, B. História da Filosofia Ocidental: Livro 1 A Filosofia Antiga. Rio de Janeiro: Editora Nova fronteira participações S.A, 2015

SELLARS, J. Stoicism. London; New York: Routledge, 2006.

SPINELLI, M. Helenização e Recriação de sentidos: A filosofia na Época da Expansão do Cristianismo- Séculos II, III e IV. Porto Alegre, Edipucrs, 2002.

TEIXEIRA, C. F. Teologia e filosofia. Engenheiro Coelho: Academia Teológica, 2015.

TRIGG, J. Origen. London and New York: Routledge, 2012.

WALKER, W. História da igreja cristã. 3. ed. São Paulo: ASTE, 2015.

ZUKOWSKI, J. O Espírito Santo na Patrística e no período medieval. In: TIMM, A. R.; SIQUEIRA, R. W. Pneumatologia: Pessoa e Obra do Espírito Santo. Engenheiro Coelho: Unaspress, 2017.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Kerygma

Downloads

Não há dados estatísticos.