ESPETACULARIZAÇÃO CÚLTICA ANTE O DEUS DA BRISA SUAVE

O SER HUMANO EFÊMERO EM BUSCA DO ETERNO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v14.n02.p29-34

Palavras-chave:

Espetáculo, Pós-modernidade, Conhecimento

Resumo

De acordo com a expressão do escritor francês Guy Debord, o ser humano hodierno vive na sociedade do espetáculo, um simulacro de falso eterno presente – artificial e visceral – onde a existência dissoluta se agiganta em face da original e esquecida essência humana legada sem intermediário pelo abscôndito Deus. Diante dessa triste constatação sociológica e filosófica ocidental – atestada por Zygmunt Bauman, Gilles Lipovetsky e Gianni Vattimo, dentre tantos outros – continua o ser humano a viver entre as tensões e divisões já atestadas pelo Apóstolo dos Gentios nos primórdios do cristianismo. Nesse sentido, em grande medida o narcisismo idolátrico e consumista refreia e quase mata o próprio amor. A religião de Cristo mostra que é o Amor - o próprio Deus - e não o homem, a medida de todas as coisas, sendo Ele mesmo o distribuidor e recolhedor dos dons espirituais que deveriam infundir bênçãos não apenas à igreja, mas a toda a comunidade. A presente comunicação visa abordar essa difícil dialética encetada desde o título a partir da leitura histórica da contemporaneidade permeada por questionamentos bíblicos selecionados com o intuito de discutir possibilidades de vínculos entre o culto apresentado pelo ser humano e o aceitável por Deus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Augusto Darius, Centro Universitário Adventista de São Paulo - UNASP EC

Historiador pela Universidade Regional de Blumenau, Mestre e Doutor em Teologia pela Escola Superior de Teologia de São Leopoldo, RS, área de atuação "Teologia Histórica". Professor do Centro Universitário Adventista de São Paulo, campus Engenheiro Coelho.

Referências

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ARMSTRONG, K. Em nome de Deus: O fundamentalismo no judaísmo, no cristianismo e no islamismo. São Paulo: Cia. de Bolso, 2009.

CHARDIN, P. T. The Future of Man. Nova Iorque e Evanston: Harper & Row, 1964.

DEBORD, G. A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

HABERMAS, J. O Discurso Filosófico da Modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

LIPOVETSKY, G.; CHARLES, S. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

LIPOVETSKY, G. O Crepúsculo do Dever: a ética indolor dos novos tempos democráticos. Lisboa: Dom Quixote, 2004.

NIETZSCHE, F. O Anticristo. Tradução de André Cancian. São Paulo: Montecristo, 2012.

TEIXEIRA, E. B. Aventura pós-moderna e sua sombra. São Paulo: Paulus, 2005.

TILLICH, P. Teologia da Cultura. São Paulo: Fonte Editorial, 2009.

VATTIMO, G. O fim da modernidade: Niilismo e hermenêutica na cultura pós-moderna. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

WHITE, E. G. Spalding and Magan’s Unpublished Manuscript Testimonies of Ellen G. White. Payson: Leaves-Of-Autumn, 1985.

Downloads

Publicado

2020-03-16

Como Citar

DARIUS, F. A. ESPETACULARIZAÇÃO CÚLTICA ANTE O DEUS DA BRISA SUAVE: O SER HUMANO EFÊMERO EM BUSCA DO ETERNO. Kerygma, Engenheiro coelho (SP), v. 14, n. 02, p. 29–34, 2020. DOI: 10.19141/1809-2454.kerygma.v14.n02.p29-34. Disponível em: https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/1223. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)