Espíritos em prisão: uma pesquisa sobre 1 Pedro 3:19
PDF

Palavras-chave

hades
espíritos em prisão
antediluvianos
anjos caídos
Pedro.

Como Citar

Silva, A., & Catalano, A. (2006). Espíritos em prisão: uma pesquisa sobre 1 Pedro 3:19. Kerygma, 2(2), 34. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/294

Resumo

O texto de I Pedro 3:19 tem sido interpretado de diferentes formas. Algumas dessas interpretações afirmam que os “espíritos em prisão” são as almas dos antediluvianos presos no hades. Uma segunda corrente afirma que esses “espíritos” são anjos caídos presos ao pecado ou em algum lugar. Por fim, uma terceira interpretação entende os “espíritos em prisão” como sendo pessoas vivas que estavam aprisionadas ao pecado nos dias de Noé. Esse estudo propõe que esses “espíritos em prisão” eram os antediluvianos, e que Cristo pregou a eles mediante o ministério de Noé. Não eram seres humanos que estavam presos no hades, nem tão pouco, anjos caídos, mas pessoas vivas presas ao pecado e capazes de aceitar a salvação em sua época.

PDF

Referências

Allen, Clifton J. “I Pedro”. Comentário Bíblico Broadman. Editado por Ray Summers 3ª edição. Rio de Janeiro: JUERP, 1990. 12:190-195.

Apolinário, Pedro. Textos difíceis do Novo Testamento. Compilação feita pelo SALT. São Paulo: IAE, 1969.

Aquino, Tomas de., Sumas Teológicas. Sâo Paulo: Imprimitur Monsenhor Enesto de Paula, 1934. Vol. XXIV; 227-265.

Bawer, Walter - Grichisch – Danker. A Greek English Lexicon of The New Testament and. Other Early Christian literature. Publishing en The University of Chicago Press, 1957. 680-685.

Blum, Edwin A. “I Pedro”, The Expoxitors Bíble Comemmentary. Editado por Frank E. Gaebelein Grand Rapids. Mi: Zondervan, 1981 12:242-243.

Brow, Lothar Coenen Colin. “Espírito”. Dicionário Internacional de Teologia do Nova Testamento. Traduzido por Gordon Chow. 2ª edição. São Paulo: Vida Nova, 2002. 1:713.

Champlin, Russel Norman e João Marques Bentes. “Espíritos na Prisão. I Pedro”. Enciclopédia de bíblia teologia e filosofia. São Paulo: Candeia, 1991. 2:517-518.

Champlin, Russel Norman. O novo testamento interpretado São: Paulo: Hagnos, 2002, 6:139-152

Dockery, David d. S., ed. Manual bíblico São Paulo: Vida Nova, 2001.

Elwell, Walter A.. “Espiritos em prisão I Pedro. Enciclopédia histórica teológica da igreja cristã. Traduzido por E. F. Harrison Editado por Gordon Chown. São Paulo: Vida Nova, 1984. 2:72-75.

Hale, Broadus Davd. Introdução ao estudo do novo testamento..Traduzido por Cláudio Vital. São Paulo: Hagnos, 2002.

Harris, Ralph W.. “Pneuma (Classical Greek)”. The New Testament Greek-English Dctionary. Springfield, Missouri: The Complete Biblical Library, 1986. 15: 227-228.

Hulbbard, David A.. Espírito. Word Biblical Commentary. Vol. 1:49 Waco, Texas: Word Books Publisher, 1988. 205-211.

Metzeger, Bruce M.. The Greek New Testament. Nova Yorque: United Bible Societies, 1975. 794-798.

Michaels, J. Ramsey. Spírit. Word Biblical Commentary. Vl. 49. Waco, Tx: Word Books Publisher, 1988. 46.

Mueller, Enio R. I Pedro; Introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Mundo Cristão, 1988. 25.

Rice, George E. Una Esperanza viva. Traduzido por GastónClouzet. Buenos Aires: Associacion Casa Editora Sudamericana, 1992. 92-94.

Robertson, Archibald Thomas. Word Pictures in the NewTestament. Ground Rapids, Michigan: Baker House, 1933. 6:116-118.

“Spirits in Prison”[I Pet. 19:3]. Seventh-day Adventist Bible Commentary. Editado por F. D. Nichol Hageston MD: Review and Herald Publishing Association, 1980. 7:574-576.

“The spirits in prison”. [I Pet. 3:19]. The International Bible Commentary. Editado por F. F. Bruce Grand Rapids, Michigan: Zondervan, 1986. 1558-1559.

Welch, W. Wilbert. A primeira epistola de Pedro. Traduzido por Yolanda M. Krievin São Paulo: Imprensa Batista Regular, 1978. 68.

Willians, Derek. “Hades I Pedro. Dicionário bíblico vida nova. Trad. Lucy Yamakami. São Paulo: Vida Nova, 2000, 151.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.