O ensino de geografia física sob a perspectiva criacionista e evolucionista: uma reflexão sobre os parâmetros curriculares nacionais e os livros didáticos da área
PDF

Palavras-chave

geografia
criacionismo
evolucionismo
metodologia de ensino.

Como Citar

Rodrigues, C. (2007). O ensino de geografia física sob a perspectiva criacionista e evolucionista: uma reflexão sobre os parâmetros curriculares nacionais e os livros didáticos da área. Kerygma, 3(2), 89. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/259

Resumo

O objetivo desse trabalho é discutir a política educacional adotada para o ensino deGeografia Física sob a perspectiva criacionista e evolucionista. O trabalho se baseou em entrevistas com as editoras, que produzem livros didáticos de geografia e pesquisadores do assunto, além de análise de fontes bibliográficas e documentos que regulamentam essa área. Concluo com uma crítica à metodologia de ensino utilizada no país e à forma unilateral como o tema é abordado em sala de aula. Defendo uma equivalência na apresentação de ambos os pontos de vista, a fim de que os alunos tenham a capacidade de optar por aquele que acham mais coerente
PDF

Referências

AZEVEDO, Roberto César. Genoma – Passado, presente e futuro. Escola

Adventista, Engenheiro Coelho, São Paulo. ano 07, V. 11 , p. 16-25, 1º semestre de 2003.

BAERG, Harry J. O mundo já foi melhor. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 1995.

BENDE, Rodolfo. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional –

Regulamentada e Comentada. São Paulo: RB – Gráfica e Editora, 1998.

BRANCO, Samuel M. Evolução das espécies – O pensamento científico,

religioso e filosófico. São Paulo: Editora Moderna, 1996.

BRUM, Eliane. E no princípio o que era mesmo?. Revista Época, São Paulo, 03 de Janeiro de 2005.

DAVIDSON, Richard. No princípio: como interpretar Gênesis 1. Diálogo

Universitário, Silver Spring / EUA. V. 6, n. 3, p. 9-12, Jul. / Set. 1994.

EICHER, D.L. Tempo Geológico. São Paulo: Edgar Blücher, 1969.

ENCICLOPÉDIA ENCARTA UNIVERSAL: on compact disc. 2001.

ENCONTRO NACIONAL DE CRISCIONISTAS. 2., 1996, São Paulo. Uma

Cosmovisão do Confronto Criacionismo X Evolucionismo. Brasília: Sociedade Criacionista Brasileira, 1996.

FLORI, Jean e RASOLOFOMASOANDRO, Henri. Em Busca das Origens –

Evolução ou Criação? Madrid (Espanha): Editorial safeliz, 2002.

GROGER, Renato. Ciência divina – As dificuldades e desafios do ensino científico à luz da concepção bíblico-cristã de Deus. Escola Adventista, Engenheiro Coelho, São Paulo. ano 09, V. 16 , p. 18-21, 2º semestre de 2005.

GROOT, Mart de. O modelo do Big Bang: uma avaliação. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 10, n. 1, p. 9-12, Jan. / Mar. 1998.

HALAMA, Luís Roberto e LESSA, Sandra da Silva Ferreira. Geografia interativa – A geografia e o planeta. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 2005.

JAVOR, George T. Criacionismo: válido ainda no terceiro milênio? Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 15, n. 3, p. 10-12, Jul. / Set. 2003.

KENNEDY. M. Elaine. Os intrigantes dinossauros. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 5, n. 2, p. 9-11, Abr. / Jun. 1993.

MARTINS, G. N. de M. Citação de referências e notas de rodapé. Disponível em http://www.unasp.br/bibliotecauniversitaria/c2/html Acesso em 30 ago. 2002.

MENDES, Josué Camargo. Geologia do Brasil. Rio de Janeiro / RJ: Instituto Nacional do Livro, 1971.

PARKS, Bill. Como ensinar a seus filhos a harmonia entre o criacionismo e a ciência. Brasília/DF: Sociedade Criacionista Brasileira, 2001.

PITMAN, Sean D. Por que creio na Criação. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 17, n. 3, p. 9-11, Jul. / Set. 2005.

REDE NACIONAL DE PESQUISA (Brasil). Histórico da Rede Nacional de

Pesquisa. Disponível em ftp.media.mit.edut.pub/asb/papers/chaiance-chi99 Acesso em 09 dez. 2000.

ROTH, Ariel A. Origens – relacionando a ciência com a Bíblia. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 2001.

_____ . A ciência descobre Deus. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 17, n. 2, p. 5-7, Mai. / Jul. 2005.

_____ .Catastrofismo? Sim!. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 10, n. 2, p. 11-15, Mai. / Jul. 1998.

SILVA, Rodrigo P. Interpretações dos capítulos 1 a 11 de Gênesis na história do adventismo. Escola Adventista, Engenheiro Coelho, São Paulo. ano 07, V. 11 , p. 10-14, 1º semestre de 2003.

SISTEMA POSITIVO – LIVRO DIDÁTICO: on compact disc. 2001.

SHEA, William H. O Dilúvio: Apenas uma catástrofe local? Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 9, n. 1, p. 10-13, Jan. / Mar. 1997.

SOUZA Jr, Nahor Neves. Uma Breve História da Terra. Brasília: Sociedade Criacionista Brasileira, 2004.

TERREROS, Marco T. A mensagem adventista e o desafio da evolução. Diálogo Universitário, Silver Spring / EUA. V. 8, n. 2, p. 11-13, Abr. / Jun. 1996.

WILLIAMS Jr., Emmet L. Uma explicação simplificada da Primeira e da Segunda Lei da Termodinãmica: a sua relação com as escrituras e a teoria da evolução. Folha Criacionista, Brasília. p. 3-14, Agosto. 1995.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.