O uso da força pelo cristão: estudo exegético de Mateus 26:52
PDF

Palavras-chave

Uso da Força
Retribuição
Fins Religiosos
Estado
Atitude Violenta.

Como Citar

Carvalho, S. (2008). O uso da força pelo cristão: estudo exegético de Mateus 26:52. Kerygma, 4(1), 54. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/242

Resumo

A presente pesquisa enfoca o tema do uso da força pelo cristão e tem como principal objetivo analisar o texto de Mateus 26:52 – “Então, Jesus lhe disse: Embainha a tua espada; pois todos os que lançam mão da espada à espada perecerão”. Considerando que as opiniões dos teólogos são discordantes a esse respeito, a fim de identificar uma interpretação adequada foi realizada a análise do texto, do contexto histórico, dos aspectos literários e semânticos do verso em estudo. A partir dessa análise, pôde-se perceber que as evidências internas e externas relacionadas ao verso apontam para a interpretação de que a passagem refere-se a uma proibição contra o uso da força para fins religiosos. Quanto ao uso da força pelo Estado, verificou-se que este é legítimo e necessário à manutenção da sociedade. Além disso, o estudo serve para mostrar que, para o cristão individualmente, não há escusas para atitudes violentas, mesmo em situações em que a retribuição seja justificável.

PDF

Referências

ALAND, Kurt et al. The Greek New Testament. Grand Rapids/MI: William B. Eerdmans, 2001.

ALMEIDA, João Ferreira de (Trad.). Bíblia Sagrada: revista e atualizada. Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993.

AUNE, David E. The New Testament in Its Literary Envinonment. Philadelphia/PA: The Westminster Press, 1987.

BALLARINI, P. Teodorico (Ed.). Introdução à Bíblia: com antologia exegética. Traduzido por João Evangelista Martins Terra. 4 v. Petrópolis/RJ: Vozes, 1972.

BENEDICTO, Marcos de; PINHEIRO, Paulo Roberto (Eds). Declarações da Igreja. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 2003.

BROADUS, John A. Comentário sobre el evangélio según Mateo. Traduzido por Sarah A. Hale. El Paso/TX: Casa Bautista de Publicaciones, 1949.

BROWN, Raymound E.; FITZMEYER, Joseph A.; MURPHY, Roland E. (Eds.). Comentário bíblico “San Jerônimo”. 3 v. Traduzido por Jesus V. Malla e Juan J. del Moral. Madrid: Ediciones Cristandad, 1972.

BOYER, Orlando. Pequena enciclopédia bíblica. São Paulo: Editora Vida, 2001.

BUCKLAND, M. A. Dicionário Bíblico Universal. São Paulo: Editora Vida, 1999.

BULLINGER, E. W. Diccionario de figuras de dicción usadas en la Bíblia. Barcelona: Editorial Clie, 1985.

CARSON, D. A.; MOO, Douglas J.; MORRIS, Leon. Introdução ao Novo Testamento. Traduzido por Márcio Loureiro Redondo. São Paulo: Vida Nova, 1997.

CRABTREE, A. R. Introdução ao Novo Testamento. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Batista, 1952.

CHAMPLIN, Russell Norman. O Novo Testamento interpretado versículo por versículo. 6 v. São Paulo: Hagnos, 2002.

__________. Enciclopédia de Bíblia e Teologia. 6 v. São Paulo: Candeia, 1991.

COLEMAN, William L. Manual dos tempos e costumes bíblicos. Venda Nova/MG: Betânia, 1991.

DAVIDSON, F. (Ed.). O novo comentário da Bíblia. 2 v. São Paulo: Edições Vida Nova, 1990.

ERDMAN, Charles R. El evangelio de Mateo. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1974.

FEE, Gordon D.; STUART, Douglas. Entendes o que lês?. São Paulo: Vida Nova, 1997.

FRANCE, R. T. The Gospel According to Matthew: an Introduction and Commentary. Leicester: Inter-Varsity, 1995.

HAGNER, Donald A. Mattew 14-28. Dallas/TX: Word Books, 1995 (Word Biblical Commentary, v. 33b).

HATCH, Edwin; REDPATH, Henry A. A Concordance to The Septuagint, and the other Greek Versions of the Old Testament (including the Apocryphal Books), 3v. Grand Rapids/MI: Baker Book House, 1984.

HENDRIKSEN, William. New Testament Commentary. Grand Rapids/MI: Baker Book House, 1975.

HORTON, Michael. A lei da perfeita liberdade: a ética bíblica a partir dos Dez Mandamentos. São Paulo: Editora Cultura Cristã, 2000.

IRONSIDE, H. A. Expository Notes on the Gospel of Matthew. New York: Loizeaux Brothers, 1978.

JEREMIAS, J. Jerusalém no tempo de Jesus: pesquisas de história econômicosocial no período neotestamentário. São Paulo: Edições Paulinas, 1983.

JONES, Martyn Lloyd. Estudos no Sermão do Monte. São Paulo: Editora Fiel da Missão Evangélica Literária, 1984.

KUBO, Sakae. A Reader’s Greek-English Lexicon of The New Testament and a Beginner’s Guide for the Translation of New Testament Greek. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1975.

KÜMMEL, Werner Georg. The New Testament: the History of the Investigation of Its Problems. Nashville/TN: Abingdon Press, 1972.

LANCELLOTTI, Angelo. Comentário ao evangelho de São Mateus. Traduzido por Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis/RJ: Editora Vozes Ltda, 1980.

LONGMAN, Tremper; GARLAND, David E. The Expositor’s Bible Commentary. 12 v. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 2000.

LUND, E.; NELSON, P. C. Hermenêutica. São Paulo, SP: Editora Vida, 1968.

MAXWELL, Mervyn C. Uma nova era segundo as profecias do Apocalipse. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 2002.

MORIN, Émile. Jesus e as estruturas de seu tempo. São Paulo: Edições Paulinas, 1984.

MORRIS, Leon L. Lucas: introdução e comentário. São Paulo/SP: Mundo Cristão, 1990 (Série Cultura Bíblica).

MOUNCE, Robert H. Mateus. Traduzido por Oswaldo Ramos. São Paulo/SP: Editora Vida, 1996. (Novo Comentário Bíblico Contemporâneo).

NICHOL, Francis D. (Ed.). Comentário bíblico Adventista del 7º Dia. Traduzido por Victor E. Ampuero Matta. 7 v. Boise/ID: Pacific Press Publishing Association, 19781990.

NOLLAND, John. Luke 1-9:20. Dallas/TX: Word Books, 1995. (Word Biblical Commentary, v. 35a).

PACKER, J. I.; TENNEY, Merril C.; WHITE, William Jr. O mundo do Novo Testamento. São Paulo: Editora Vida, 2000.

PFEIFFER, Charles F.; HARRISON, Everett F. (Eds.). The Wycliffe Bible Commentary. Chicago: Moody Press, 1968.

_________. Comentário bíblico Moody. 5 v. São Paulo: Imprensa Batista Regular, 1980.

POHL, Adolf. Apocalipse de João. 2 v. Curitiba: Editora Evangélica Esperança, 2001 (Comentário Esperança).

POOLE, Matthew. A Commentary on the Holy Bible. 3 v. Carlisle: Banner of Truth Trust, 1974.

RODOR, A. A. Cristo nos Evangelhos. 2005. 28 f. Notas de aula.

ROS, Pablo Termes (Ed.). Enciclopedia de la Bíblia. 3 e 6 v. Barcelona: Garriga, 1963.

ROPS, Henri Daniel. A vida diária nos tempos de Jesus. São Paulo: Vida Nova, 1991.

RYLE, J. C. Comentário do Evangelho segundo S. Mateus. São Paulo: Imprensa Metodista, 1959.

SCHMID, Josef. El evangelio según San Mateo. Barcelona: Editorial Herder, 1973.

SILVA, Rodrigo P. Um desconhecido galileu: uma abordagem histórico-científica da vida e obras de Jesus de Nazaré. Engenheiro Coelho/SP: Imprensa Universitária Adventista, 2001.

SILVA, Horne P. Cristo e os Evangelhos. São Paulo: Instituto Adventista de Ensino, 1984.

SIMEON, Charles. Expository Outlines on the Whole Bible. 21 v. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1956.

SPENCE, H. D. M.; EXELL, Joseph S. (Eds.). The Pulpit Commentary. 51 v. Grand Rapids/MI: W. M. B. Eerdmans Publishing Company, 1977.

STANLEY, David Michael. Evangelho de Mateus. São Paulo: Edições Paulinas, 1975.

STOTT, John R. W. A mensagem do Sermão do Monte: contracultura cristã. São Paulo: ABU Editora, 2001.

TASKER, R.V.G. Evangelho Segundo Mateus: introdução e comentário. São Paulo: Mundo Cristão, 1991 (Série Cultura Bíblica).

VENTURA, Samuel Vila. Nuevo diccionário bíblico ilustrado. Barcelona: Editorial Clie, 1985.

VINE, W. E. Diccionario expositivo de palabras del Nuevo Testamento. Barcelona: Editirial Clie, 2002.

WHITE, Ellen G. O maior discurso de Cristo. Tatuí/SP: Casa Publicadora Brasileira, 2002.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.