O Elias profético: um estudo sobre a interpretação neo-testamentária da profecia de malaquias 4:5
PDF

Palavras-chave

Malaquias
Elias
profecia
Novo Testamento.

Como Citar

Flores, A. F. da C. (2008). O Elias profético: um estudo sobre a interpretação neo-testamentária da profecia de malaquias 4:5. Kerygma, 4(1), 52. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/239

Resumo

No livro de Malaquias 4:5 lemos que “Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor;” (ARA). Quem é de fato “o profeta Elias” mencionado nessa profecia? Qual o seu papel? Seria Elias o mesmo profeta descrito no livro de Reis, ou a profecia está falando de um símbolo profético? O objetivo do trabalho é investigar essa profecia e, especialmente, ver como o Novo Testamento a interpreta.

PDF

Referências

ALDEN, R. L. Haggai, Malachi. In: GAEBELEIN, F. E. (Ed.). Expositor’s Bible Commentary. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1985. v. 7, p. 724.

ALEXANDER, D.; ALEXANDER, P. Handbook to the Bible. Grand Rapids/MI: William B. Eerdmans, 1973.

APOLINÁRIO, P. Grego para o curso teológico. Santo Amaro/SP: Depto. Gráfico do Instituto Adventista de Ensino, 1986.

BALDWIN, J. G. Haggai, Zechariah, Malachi: An Introduction and Commentary. Downers Grove/IL: Inter-Varsity Press, 1992. (Tyndale Old Testament Commentaries).

BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Tradução: Edição da Palavra Viva. São Paulo: Stampley Publicaçoes, 1974.

BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Tradução: João Ferreira de Almeida. revista e atualizada. Brasília: Sociedade Bíblica do Brasil, 1988.

CARSON, D. A. Mathew. In: GAEBELEIN, F. E. (Ed.). Expositor’s Bible

Commentary. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1984. v. 8, p. 211, 213.

CLARKE, A. Clarke’s Commentary. V. 4: Isaiah to Malachi. Nashville/NY:

Abingdon Cokesbury Press, [19--].

CALVIN, J. Calvin’s Commentaries. V. 6: The Minor Prophets. Grand Rapids/MI: Associated Publishers, [19--].

DAVIDSON, R. D. “New Testament Hermeneutics: A Case Study in the NT Typological Interpretation of OT Scripture.” Handout da classe doutoral OTST 685, Principles of Hermeneutics, winter 1990, professor Dr. Ricard M. Davidson, Andrews University, Berrien Springs/USA.

DEUTSCH, R. R. A Promise of Hope – a call to obedience: A Commentary on the Books of Joel and Malachi. Grand Rapids/Edinburgh: WM. B. Eerdmans Puplishing, 1987. (International Theological Commentary).

Encyclopaedia Judaica, CD ROM Edition. v. 1.0. Jerusalém: Judaica Multimidia LTD, 1997.

EXELL, J. S. The Biblical Illustrator. V. 10: Daniel, Minor Prophets. Grand

Rapids/MI: Baker Book House, 1977.

GAEBELEIN, A. C. The Annotated Bible. V. 2: Ezra to Malachi. USA: Moody Press, 1970.

GASQUE, W. W. Malachi. In: BRUCE, F. F.; ELLISON, H. L.; HOWLEY, G. C. D. (Eds.). The International Bible Commentary. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, 1986. p. 994.

GREATHOUSE, W. M. Zechariah, Malachi. In: PURKISER, W. T. (Ed.) Beacon Bible Commentary. Kansas City/Missouri: Beacon Hill Press, 1966. v. 5, p. 442.

GUTHRIE, D., MOTYER, J. A. (Ed.) The New Bible Commentary. London: Billing and Sons, 1977.

HENRY, M. Comentário exegético-devocional a toda la Bíblia. 13 v. Barcelona: Libros Clie, 1983.

Ilumina Gold: a Bíblia do século XXI. CD ROM, v. 2.6. Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil.

KEIL, C. F.; DELITZSCH, F. Commentary on the Old Testament. 10 v. Grand Rapids/Michigan: Willian B. Eerdmans, 1975.

LANGE, J. P. A Commentary on the Holy Scriptures – Malachi. Grand Rapids/MI: Zondervan Publishing House, [19--].

LA RONDELLE, H. K. Boas novas sobre o Armagedom. Tatuí/SP: Casa

Publicadora Brasileira, 2002.

__________. O Israel de Deus na profecia – princípios de interpretação profética. Engenheiro Coelho/SP: Unaspress, 2002.

MACLAREN, A. Expositions of Holy Scripture. V. 6: Ezekiel, Daniel, and the Minor Prophets; St. Matthew, Chapters I to VIII. Grand Rapids/MI: Wm. B. Eerdmans Publishing, 1938.

NICHOL, F. (Ed.). Seventh-day Adventist Bible Commentary. 7 v.

Hagerstown/MD: Review and Herald, 1976.

PFEIFFER, C. F. The Wycliffe Bible Commentary. Chicago: Moody Press, 1968.

RIES, C. A. Isaiah – Malachi. Grand Rapids/MI: Willian B. Eerdmans Publishing, 1969. (The Wesleyan Bible Commentary, v. 3).

SCHOLZ, V. Novo Testamento interlinear: grego – português. Barueri/SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2004.

SHEDD, R. P. (Ed.). O Novo comentário da Bíblia. 2 v. São Paulo: Vida Nova, 1963.

SIQUEIRA, R. A profecia apocalíptica como chave hermenêutica para a

interpretação da escatologia da profecia clássica do AT: um estudo em Isaías, Jeremias, Daniel e Apocalipse. In: TIMM, A.; RODOR, A.; DORNELLES, V. (Eds.). O futuro: visão adventista dos últimos acontecimentos. Engenheiro Coelho/SP: Unaspress, 2004. p. 85-101.

SMITH, R. L. Micah to Malachi. Waco/TX: Word Books Publisher, 1984; (Word Biblical Commentary, v. 32).

SPERRY, W. L.; DENTAN, R. C. Malachi. In: BUTTRICK, G. A. (Ed.). The

Interpreter’s Bible. Nashville/NY: Abingdon Press, 1956. v. 6, p. 1143.

VERHOEF, P. A. The Books of Haggai and Malachi. Grand Rapids/MI: Willian B. Eerdmans Publisching Co., 1988. (The New International Commentary on the Old Testament).

WOLF, H. Haggai and Malachi. Chicago: Moody Press, 1976.

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.