UMA CURTA INTRODUÇÃO AO LIVRO DE NAUM
pdf (English)

Palavras-chave

naum
nínive
oráculo
exegese
ira

Como Citar

Barros, B. A. (2020). UMA CURTA INTRODUÇÃO AO LIVRO DE NAUM. Kerygma, 15(1), 53–62. https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v15.n1.p53-62

Resumo

O presente artigo tem como objetivo fornecer uma breve leitura do texto de Naum 1:1-3, investigando a história da interpretação do livro de Naum, o cenário histórico e fornecendo uma breve análise exegética dos três primeiros versos. Para essa pesquisa foram utilizadas fontes primárias para análise do texto e fontes secundárias para a reconstrução do cenário histórico tanto do período do livro como do estudo da história da interpretação. Primeiro, a história da interpretação do livro é introduzida, iniciando-se pelo período do profeta até as correntes de interpretação modernas. Em segundo lugar, o cenário histórico de Naum é abordado, seguido pela audiência do livro a qual o autor pretendia alcançar, além da estrutura literária do livro, incluindo palavras-chave para a interpretação da passagem. Finalmente, uma aplicação da passagem para os dias atuais é realizada, seguida da conclusão da presente pesquisa.

https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v15.n1.p53-62
pdf (English)

Referências

AHARONI, Yohanan. The Land of the Bible: A Historical Geography. Philadelphia: The Westminster Press, 1979.

BRIGGS, Charles Augustus. The International Critical Commentary on the Holy Scriptures of the Old and New Testaments. New York: Charles Scribner’s Sons, 1911.

BRIGHT, John. A History of Israel. Louisville: Westminster John Knox Press, 2000.

BRUCE, F.F. (Ed). The International Bible Commentary. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1986.

COGGINS, Richard J. Nahum, Obadiah, Esther: Israel among the Nations. Grand Rapids: Eerdmans Publishing Company, 1985.

COGGINS, Richard; HAN, Jin H. Six Minor Prophets through the centuries: Nahum, Habakkuk, Zephaniah, Haggai, Zechariah, and Malachi. West Sussex: Willey-Blackwell, 2011.

EVANS, Paul S. The invasion of Sennacherib in the book of Kings: a source-critical and rhetorical study of 2 Kings 18-19. VTS 125. Leinden: Koinklijke Brill NV, 2009.

GAEBELEIN, Frank E. The Expositor’s Bible Commentary, v. 7. Grand Rapids: Zondervan Publishing House, 1985.

HILL, R. C. Commentary on the Twelve Prophets, v. 1 (The Fathers of the Church, v. 115). Washington: Catholic University of America Press, 2007.

HOERTH, Alfred J. Archaeology and the Old Testament. Grand Rapids: Baker Books, 1998.

HOLLADAY, William (Ed.). A Concise Hebrew and Aramaic Lexicon of the Old Testament. Grand Rapids: Eerdmans Publishing Company, 1988.

KELLY, J.N.D. Jerome: His life, Writings and Controversies. London: Gerald Duckworth & Co. Ltd., 1975.

LUCKENBILL, Daniel David. The Annals of Sennacherib. Vol.2 of The Annals of Sennacherib. Chicago: The University of Chicago Oriental Institute Publications.

MAIER, W.A. The Book of Nahum: A Commentary. St. Louis: Concordia Publishing House, 1959.

NA’AMAN, Nadav. Ancient Israel and its Neighbors: interaction and counteraction. 3 Vols. Winona Lake: Einsenbrauns, 2005.

O’BRIEN, Julia M. Nahum (Readings: A New Biblical Commentary). Sheffield: Sheffield Phoenix Press, 2009.

PARROT, André. Nineveh and the Old Testament. New York: Philosophical Library, 1955.

STRONG, James. The New Strong’s Expanded Exhaustive Concordance of the Bible. Nashville: Thomas Nelson Publishers, 2010.

SWEENEY, Marvin. The Twelve Prophets. Organização de David W. Cotter. Collegeville: The Liturgical Press, 2000.

THE HOLY BIBLE. New American Standard Bible. La Habra: The Lockman Foundation, 1995.YEE, Gale A.; PAGE JR, Hugh R. (Eds.). Fortress Commentary on the Bible. Minneapolis: Fortress Press, 2014.

WALTON, John H., Zondervan Illustrated Bible Backgrounds Commentary. Grand Rapids: Zondervan, 2009.

WATTS, James W.; HOUSE, Paul R. (Eds). Forming Prophetic Literature: Essays on Isaiah and the Twelve in honor of John D. W. Watts. Sheffield: Sheffield Academic Press, 1996.

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.