A RELAÇÃO ENTRE A ARQUITETURA GÓTICA E A RELIGIOSIDADE MEDIEVAL
PDF

Palavras-chave

catedrais
arquitetura gótica
período medieval
fachadas

Como Citar

Xavier, J., Göebel, A. G., Cordasso, L., Almeida, L., & Souza, M. M. (2020). A RELAÇÃO ENTRE A ARQUITETURA GÓTICA E A RELIGIOSIDADE MEDIEVAL. Kerygma, 15(1), 40-52. https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v15.n1.p40-52

Resumo

O artigo em questão tem por objetivo discutir e analisar a importância da arquitetura gótica como símbolo de uma revolução religiosa, buscando compreender sua representação na história do ocidente medieval com maiores proporções e significados, que vão desde a revolução na forma de se construir as igrejas até a mudança da mentalidade da sociedade medieval através da transmissão de uma mensagem filosófica, propagada pelo estilo arquitetônico gótico. Seu aparecimento, portanto, está intimamente associado ao desenvolvimento das cidades no período da Baixa Idade Média. A partir de conceitos já estabelecidos por teóricos como Marchi, Brandão, Panofsky, Freitas, entre outros, abordou-se as questões que influenciaram o cenário das mudanças e as transformações ocorridas no período de estudo. Logo após, apresentou-se a relação existente entre o desenvolvimento da arquitetura gótica e o surgimento da filosofia escolástica, assim como também se analisou essa nova forma de construir, surgida entre os séculos XII e XIII, como signo dessa e de outras relações, e como fator de preservação da memória e registro do espírito de um período de transição de mentalidades.

https://doi.org/10.19141/1809-2454.kerygma.v15.n1.p40-52
PDF

Referências

BATTISTONI FILHO, D. Pequena história da arte. 7. ed. Brasil: Papirus, 1996.

BAUMGART, F. Breve história da arte. Tradução de Marcos Holler. 2. ed. São Paulo, SP: Martins Fontes, 1999.

BRANDÃO, C. A. L. A formação do homem moderno vista através da arquitetura. Belo Horizonte: EDITORA UFMG, 1999.

COLI, J. O que é arte. 15. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1995.

CULLETON, A. O que é a Escolástica e a Escola de Salamanca. Revista do Instituto Humanistas Unisinos, São Leopoldo, ed. 342, p. 5, 2010. Disponível em: <https://bit.ly/2ScU9Jh> Acesso em 05 out. 2019.

FRANCO JÚNIOR, H. A Idade Média: nascimento do Ocidente. São Paulo: Brasiliense, 2011.

FREITAS, E. O Desenvolvimento da Arquitetura Gótica a partir da Filosofia Escolástica. Nuntius Antiquus, Belo Horizonte, v. 9, n. 2, p 201-220, jul-dez 2013.

GOMBRICH, E. H. A História da Arte. Rio de Janeiro: LTC, 1999.JANSON, H. W; JANSON, A. F. Iniciação à história da arte. São Paulo: WMF, 2009.

LE GOFF, J. O Apogeu da Cidade Medieval. Tradução: Antônio de Padua Danesi. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

LE GOFF, J. Uma longa Idade Média. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

LOMBARD, M. A Evolução Urbana durante a Alta Idade Média. Tradução: E. Simões de Paula. França: Universidade de Toulouse, 1951.

MARCHI, C. Grandes pecadores, grandes catedrais. São Paulo: Martins Fontes, 1991.MARTINS, D. S. O espaço do sagrado e o espaço do trabalho nos vitrais da catedral de Chartres (França – Século XIII). XVIII Encontro de História da Anpuh-Rio: História e Parcerias, Rio de Janeiro, jul. 2018.

OSBORNE, H. Estética e teoria da arte: uma introdução à história. 1. ed. São Paulo: Cultrix, 1970.

PANOFSKY, E. Arquitetura Gótica e Escolásticas: sobre a analogia entre arte, filosofia e teologia na Idade Média. São Paulo: Martins Fontes, 1951.

PROENÇA, G. História da Arte. São Paulo: Editora Ática, 2010.

TREVISAN, A. O rosto de Cristo. Porto Alegre: AGE, 2003.

WHITE, Ellen G. O Grande Conflito. 43. ed. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2008.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Downloads

Não há dados estatísticos.