O TEXTO BÍBLICO: ABORDAGENS DIACRÔNICA, SINCRÔNICA E LITERÁRIA DE NARRATIVAS DO NOVO TESTAMENTO
PDF

Como Citar

Vito, F. (2016). O TEXTO BÍBLICO: ABORDAGENS DIACRÔNICA, SINCRÔNICA E LITERÁRIA DE NARRATIVAS DO NOVO TESTAMENTO. Kerygma, 10(2), 67–78. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/682

Resumo

O texto bíblico, como o conhecemos, é um conjunto de vários textos que foram reunidos em um só livro. As leituras desses textos sempre tiveram na história variadas formas de aproximações; dentre essas formas estão as leituras sincrônicas e diacrônicas que ora privilegiam os rastros do texto na história (a diacrônica) e ora privilegiam a construção do texto como o temos na atualidade (a sincrônica). O artigo aqui apresentado preocupa-se com essas aproximações do texto bíblico, bem como em olhar com maior atenção para a aproximação literária das narrativas bíblicas com o intuito de descrever e refletir sobre essas formas de abordagens interpretativas da Bíblia.

 

Palavras-chave: Texto bíblico; Leitura; Bíblia como literatura.

 

Abstract: The biblical text as we know, is a junction of several texts joined in an only book. The reading of those texts, throughout history, have always had varied ways of approximation. In between those forms of approximation there are the synchronic readings and the diachronic readings, which once privileges the text traces on the history (diachronic), and once privileges the text construction as we currently have it (synchronic). The article presented here concerns to those approximations of the biblical text, as well as observes with higher attention the literary approximation to the biblical narratives aiming to describe and reflect about these ways of interpretative approaches of the Bible.

 

Keywords: Biblical text; Reading; Bible as literature.

PDF

Referências

ALTER, R. A arte da narrativa bíblica. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

______. Um mergulho na narrativa bíblica. Revista do Instituto Humanitas Unisinos, n. 251, ano VIII, p. 12-14 2008.

______; KERMODE, F. (Org.). Guia literário da Bíblia. São Paulo: UNESP, 1997.

BLOOM, H. Entrevista publicada na Veja Online em 31 de janeiro de 2001. Disponível em: http://abr.ai/1TaMi9j. Acesso em: 17 novembro de 2013.

CARSON, D. A. Comentário de João. São Paulo: Shedd Publicações, 2007.

DYCK, E. (Ed.). Hermenêutica. São Paulo: Shedd Publicações, 2012.

ECO, U. Seis passeios pelo bosque da ficção. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

FERREIRA, J. L. Ele será chamado pelo nome de Emanuel: o narrador e Jesus Cristo no Evangelho de Mateus. Tese. (Doutorado em Teologia). Campinas: UNICAMP, 2006.

GABEL, J. B.; WHEELER, C. B. A Bíblia como literatura. São Paulo: Loyola, 1993.

LÉON-DUFOUR, X. Leitura do Evangelho segundo João I. São Paulo: Loyola, 1996.

MAGGIONI, B. O evangelho de João. In: FOBRIS, R.; MAGGIONI, B. Os Evangelhos II. São Paulo: Loyola, 2006.

MARGUERAT, D.; BOURQUIN, Y. Para ler as narrativas bíblicas. São Paulo: Loyola, 2009.

MARTINS, M. H. O que é leitura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

RICOEUR, P. Ensaios sobre a interpretação bíblica. São Paulo: Fonte Editora, 2008.

ZABATIERO, J. T.; LEONEL, J. Bíblia, literatura e linguagem. São Paulo: Paulus, 2011.

Uma vez aceitos para a publicação, os direitos autorais dos artigos são automaticamente transferidos à Kerygma. Todo material utilizado no texto que possua direitos autorais de terceiros devem estar devidamente referenciados. As pessoas autoras também devem deter os direitos de reprodução das imagens e tabelas em seu material, caso seja necessário. Autores(as) que publicam na Kerygma devem concordar com os seguintes termos:

Termo 1: Os(as) autores(as) concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
Termo 2: Os(as) autores(as) têm a autorização para assumir contratos adicionais para a distribuição não exclusiva de seu trabalho, conforme publicado na revista (por exemplo: repositório institucional, capítulo de livro etc.). Contudo, ele deve reconhecer a autoria e a publicação inicial do trabalho à Kerygma.
Termo 3
: Os(as) autores(as) concordam com a reprodução livre de seu material pela Kerygma, que poderá adaptar, modificar, condensar, resumir, reduzir, compilar, ampliar, alterar, mixar com outros conteúdos, incluir imagens, gráficos, objetos digitais, infográficos e hyperlinks, ilustrar, diagramar, fracionar, atualizar, traduzir e realizar quaisquer outras transformações, sendo necessária a participação ou autorização expressa dos autores. Ela também pode distribuir mediante cabo, fibra ótica, satélite, ondas ou qualquer outro sistema que permite acesso ao usuário em tempo e lugar determinados, seja por vias gratuitas ou por sistemas que importem pagamento. A Kerygma poderá incluir o trabalho em banco de dados, físico ou virtual, arquivar em formato impresso, armazenar em computador, em sistema de nuvem, microfilmar e demais formas de arquivamento atuais ou que ainda possam ser desenvolvidas, com ou sem fins lucrativos.

A revista Kerygma é detentora dos direitos de todos os trabalhos publicados por ela. A reprodução integral desses textos em outras publicações, para qualquer outra finalidade, por quaisquer meios, requer autorização por escrito do editor. O mesmo serve para reproduções parciais, como resumo, abstract, porções com mais de 500 palavras do texto, tabelas, figuras, ilustrações etc.

Downloads

Não há dados estatísticos.