A importância da visitação pastoral: a percepção dos pastores da associação paulistana e dos alunos de teologia do UNASP-EC
PDF

Palavras-chave

visita pastoral
Associação Paulistana
alunos de teologia.

Como Citar

Costa Jr., J., & Alvarenga, P. (2007). A importância da visitação pastoral: a percepção dos pastores da associação paulistana e dos alunos de teologia do UNASP-EC. Kerygma, 3(2), 91. Recuperado de https://revistas.unasp.edu.br/kerygma/article/view/261

Resumo

Essa pesquisa procura avaliar qual é a percepção que os alunos de teologia e ministros adventistas têm da relevância da visita pastoral. Para tanto, o primeiro capítulo mostra a importância da visitação no Antigo Testamento e no Novo Testamento, nos escritos de Ellen G. White e nos dias atuais. O segundo capítulo apresenta os resultados de uma pesquisa de campo realizada junto a pastores da Associação Paulistana da IASD e alunos do curso de Teologia do Unasp, Campus Engenheiro Coelho (SP). Por fim, o terceiro capítulo cruza os dados levantados, identifica possíveis dificuldades e propõe um plano de visitação.

PDF

Referências

ALMEIDA, João Ferreira de (Trad.). Bíblia de estudo Almeida: revista e

atualizada. 2. Ed. Brueri/SP. Sociedade Bíblica do Brasil. 1993.

_____. A Bíblia Vida Nova: Revista e Atualizada. 15 ed. São Paulo: Edições Vida Nova S/R, 1991.

ANDERSON, Roy Allan. O Pastor Evangelista: Sua Vida, Ministério e

Recompensa. Santo André, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1965.

BOST, Bryan Jay. O Obreiro Aprovado: O Ministério do Servo Bom e Fiel. 2 ed. São Paulo: Editora Vida Cristã, 2001.

MENDES, Jose Deneval. Teologia Pastoral: A postura do obreiro é indispensável para o êxito no ministério cristão. 7 ed. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Das Assembléias de Deus, 1997.

NICHOL, Francis D. (Ed.). Comentário bíblico Adventista del 7o Dia. Traduzido por Victor E. Ampuero Matta. 7 v. Boise/ID: Pacific Press Publishing Association, 1978-1990.

ROCHA, Jose M.. De casa em casa. Revista Ministério, Tatuí, SP. n. 3, p.24 - 27, mai/jun. 1998.

RIGGS, Ralph M. O Guia do Pastor. 3 ed. São Paulo: Editora Vida. 1980.

RIVERO, Ruben. As Visitas Pastorais. Revista Ministério, Santo André, SP. n. 3, p.09 – 11, mai/jun. 1978.

RUSCONI, Carlo. Dicionário do Grego do Novo Testamento. São Paulo: Editora Paulus, 2003.

SARLI, Wilson. A obra do fiel pastor. Revista Adventista, Tatuí, SP. n. 2, p.32, fevereiro. 1993.

SAVAGE, João. Revista Ministério, Santo André, SP. n. 1, p. 4 – 5, jan/fev. 1983.

SISEMORE, Juan. T. O Ministério da Visitação, Rio de Janeiro: Editora Juerp, 4º ed., 1990.

SWANSON, H. Peter. A Tirania da SOBRECARGA. Revista Adventista, Tatuí, SP. n. 2, p. 17 -20, jul/ago. 2003.

TURNER, Donald T. A Prática do Pastorado. 2 ed. São Paulo: Imprensa Batista Regular, 1989.

VALENTIN, J. Pitino. O Pastor e a Arte Olvidada da Visitação. Revista

Ministério, Santo André, SP. n. 5, p. 08 – 11, jan/fev. 1980.

WHITE, Ellen G. Evangelismo. 3.ed. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1997.

_____.Obreiros Evangélicos. 5.ed. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 1993.

_____.Testemunho Para a Igreja. 1.ed. v 1.Tatuí, SP: Casa Publicadora

Brasileira, 2000.

_____.Testemunho Para a Igreja. 1.ed. v 2.Tatuí, SP: Casa Publicadora

Brasileira, 2005.

WILSON, Roberto A. O Pastor e a Visitação Pessoal, Revista Ministério, Santo André, SP. n. 1, p. 8 – 10, jan/fev. 1963.

Declaro (amos) que a revista Kerygma está autorizada a publicar e alterar o texto inédito e original de minha (nossa) autoria, submetido para avaliação deste periódico, a fim de "maximizar a disseminação da informação". Concordo (amos) em compartilhar os direitos autorais a ele referentes com a Unaspress e com o Unasp, sendo que seu “conteúdo, ou parte dele, pode ser copiado, distribuído, editado, remixado e utilizado para criar outros trabalhos, sempre dentro dos limites da legislação de direito de autor e de direitos conexos”. 

Reconheço (Reconhecemos) ainda que Kerygma está licenciada sob uma LICENÇA CREATIVE COMMONS - ATTRIBUTION 4.0 INTERNATIONAL (CC BY 4.0) e que esta obra também estará licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, caso seja aceita e publicada.

Dito isto, PERMITO (PERMITIMOS) que as instituições citadas acima remixem, adaptem, criem e distribuam, a partir deste trabalho, mesmo que para fins comerciais, desde que atribuam o devido crédito ao (s) autor (es) pela criação original.

Downloads

Não há dados estatísticos.