O LUGAR DO IDOSO NA FAMÍLIA PORTUGUESA: UMA BREVE ANÁLISE SOCIOLÓGICA E JURÍDICA
PDF

Palavras-chave

Estatuto do idoso
Família
Envelhecimento populacional
Interdição
Inabilitação.

Como Citar

de Almeida, C., & de Souza, D. (2018). O LUGAR DO IDOSO NA FAMÍLIA PORTUGUESA: UMA BREVE ANÁLISE SOCIOLÓGICA E JURÍDICA. Acta Científica. Ciências Humanas, 27(2), 51-77. https://doi.org/10.19141/1519.9800.acch.v27.n2.p51-77

Resumo

O crescente envelhecimento da população portuguesa, conjugado com o aumento de indivíduos que vivem sós, especialmente com 65 anos de idade ou mais, suscita a necessidade de proteção de uma faixa etária que, por motivos financeiros e de saúde, requerem maiores cuidados. Neste estudo procura-se analisar quem são os idosos aos olhos do ordenamento jurídico português e em que medida os institutos previstos no Código Civil, como a incapacidade pontual, a inabilitação e a interdição, e mesmo os deveres de auxílio, de assistência e de alimentos podem ser a resposta para os desafios que se apresentam. Por seu lado, analisam-se as vantagens da criação de um Estatuto do Idoso, à semelhança do que existe no ordenamento jurídico brasileiro, recorrendo-se, para o efeito, à revisão de literatura e análise de diplomas legais. Conclui-se que, tendo em consideração a realidade socioeconômica e demográfica portuguesa, a criação de um Estatuto não será a solução adequada, pese embora os institutos mencionados também estarem aquém da proteção desejada para os idosos, sendo manifesta a necessidade de uma intervenção legislativa.

https://doi.org/10.19141/1519.9800.acch.v27.n2.p51-77
PDF

Referências

CANOTILHO, G.; MOREIRA, V. Constituição da República Portuguesa Anotada. Coimbra: Coimbra Editora, 2007.

DIAS, C. M. A. A jurisprudência do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem e as novas formas de família. Revista Jurídica da Universidade Portucalense, n. 15, p. 35–48, 2012.

DIAS, M. O. A família numa sociedade em mudança: problemas e influências recíprocas. Gestão e Desenvolvimento, v. 9, n. 1, p. 81–102, 2000.

ENGELS, F. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. 3. ed. São Paulo: Global Editora, 1986.

FERNANDES, A. A. Velhice, solidariedades familiares e política social: itinerário de pesquisa em torno do aumento da esperança de vida. Sociologia, Problemas e Praticas, v. 36, p. 39–52, 2001.

GASIOR, K.; LAMURA, G.; RODRIGUES, R.; SCHMIDT, A. E.; ZÓLYOMI, E. Facts and Figures on Healthy Ageing and Long-term Care. Europe and North America. Viena: European Centre for Social Welfare Policy and Research, 2012. Disponível em: <https://bit.ly/2LZjWTQ>. Acesso em: 02 ago. 2016.

MARQUES, J. P. R. Em torno do estatuto da pessoa idosa no direito português. Obrigação de alimentos e segurança social. Boletim da Faculdade de Direito, Coimbra, v. LXXXIII, p. 183–217, 2007.

MIRANDA, J. Os novos paradigmas do Estado social. In: CONGRESSO NACIONAL DE PROCURADORES DE ESTADO, 37., 2011, Belo Horizonte. Anais… Belo Horizonte: ICJP 2011, p. 1-18. Disponível em: <https://bit.ly/2vceBPg>. Acesso em: 02 ago. 2016.

MIRANDA, J.; MEDEIROS, R. Constituição da República Portuguesa Anotada. Coimbra: Coimbra Editora, 2005.

OLIVEIRA, S. D. O Estatuto do Idoso. In: OLIVEIRA, G. (Coord.). Direito da infância, da juventude e do envelhecimento. Coimbra: Coimbra Editora, 2005. p. 233–236.

PAZ, S. F.; GOLDMAN, S. N. Estatuto do idoso. In: Freitas, E. V. et al. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

PEREIRA, E. C.; THOMAZINHO, J.; FREITAS, S. R.; SOUZA, R. M.; STEFANONI, L. R. R. Avanços e retrocessos a partir da introdução do Estatuto do Idoso. In: FÓRUM DE INIACIAÇÃO CIENTÍFICA DA FUNEC, 5., 2015, Santa Fé do Sul. Anais… Santa Fé do Sul: FUNEC, 2015. Disponível em: <https://bit.ly/2LVhFZK>. Acesso em: 02 ago. 2016.

PINHEIRO, J. D. O direito da família contemporâneo. Lisboa: AAFDL, 2008.

PINHEIRO, J. D. As pessoas com deficiência como sujeitos de direitos e deveres. Incapacidades e suprimento – a visão do Jurista. In: RODRIGUES, G. C. (Coord.).; GEMAS, L.; PAZ, L.; CARMO, M. Â. Interdição e Inabilitação. Lisboa: Centro de Estudos Judiciários, 2015. p. 23–37. Disponível em: <https://bit.ly/2mYaiQO>. Acesso em: 02 ago. 2016.

PORDATA. Retrato de Portugal. 1. ed. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2017. Disponível em: <https://bit.ly/2AA5LjH>. Acesso em: 02 ago. 2016.

RIBEIRO, J. S. Processos de envelhecimento: a construção de um direito emancipatório. In: OLIVEIRA, G. Direito da Infância, da Juventude e do Envelhecimento. Coimbra: Coimbra Editora, 2005. p. 203–231.

VÍTOR, P. T. O dever familiar de cuidar dos mais velhos. Lex Familiae - Revista Portuguesa de Direito da Família, v. 5, n. 10, p. 41–62, 2008.

Copyright (c) 2018 Acta Científica. Ciências Humanas

Downloads

Não há dados estatísticos.