A representação social da biologia entre alunos do ensino médio: implicações educativas e profissionais a partir das redes semânticas
PDF

Como Citar

Santos, A. A., Schünemann, H. E. S., Libardi, R. L. S., & Ferreira, R. B. (2017). A representação social da biologia entre alunos do ensino médio: implicações educativas e profissionais a partir das redes semânticas. Acta Scientiae Biological Research, 2(1), 73–95. https://doi.org/10.19141/2526-169X.actascientiae.v2.n1.p73-95

Resumo

Resumo: A Biologia é uma área de ciência avançada e cada vez mais importante atualmente, sem, contudo, despertar um interesse maior entre alunos do ensino médio. O objetivo dessa pesquisa é investigar a Representação Social de Biologia entre alunos do ensino médio. A metodologia utilizada foi Redes Semânticas para os termos Biologia, Ciências e Profi ssão. Foram pesquisados 100 alunos do ensino médio. Os resultados permitiram identifi car que os alunos do ensino médio têm uma representação social da Biologia muito associada a seus conteúdos e muito pouco em relação às ações científi cas presentes na Biologia. A própria ideia de Ciências é mais associada a Física e Química do que a Biologia, ao mesmo tempo que muito associam mais a disciplina escolar do ensino fundamental, que a atividade científica em si. Por fi m, a representação social de Profi ssão enfatiza comportamentos de sucesso não relacionados ao trabalho científi co. Esses resultados sugerem que uma parte do problema está associada provavelmente à forma na qual é conduzido o ensino de Biologia, que favorece apenas a representação de nomes e não de uma postura de investigação e produção de conhecimento. Isto enfraquece a possibilidade de identifi cação do aluno de ensino médio, de Biologia como uma profi ssão.

Palavras-chave: Ensino de Biologia; Representação Social; Profissão


Abstract: Biology is an area of advanced science and increasingly important today, without awakening a greater interest among high school students. Th e objective of this research is to investigate the Social Representation of Biology among high school students. Th e methodology used was semantic networks for words Biology, Science and Profession. We surveyed 100 high school students. Th e results showed that high school students have a social representation of the biology associated with its very content and very little about the actions present in scientifi c biology. Th e very idea of science is more related to physics and chemistry than biology, while associate much more discipline Elementary School that scientifi c activity itself. Finally, the social representation of behaviors emphasizes Occupation of success is not related to scientifi c research. Th ese results suggest that part of the problem is probably associated with the way in which teaching is conducted in biology that favors only the representation of names and not in a position of research and knowledge production. Th is weakens the possibility of identifying the student’s high school biology as a profession


Keywords: Teaching Biology; Social Representation; Profession

https://doi.org/10.19141/2526-169X.actascientiae.v2.n1.p73-95
PDF

Referências

BAUER, M. A popularização da ciência como imunização cultural e função de resistência das Representações Sociais. In: GUARESCHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. Textos em Representações Sociais. Petrópolis: Vozes, 1995.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº9394, de 20 de dezembro de 1996.

BRASIL. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: ensino médio/ Ministério da Educação, Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Brasília: MEC; SEMTEC, 2002.

BRASIL Secretaria de Estado Da Educação / Superintendência da Educação. Diretrizes curriculares de biologia para o ensino médio em revisão. Curitiba, 2007.

CARVALHO, W. O componente estético no currículo de biologia do ensino médio: recuperando o fascínio de apreender e ensinar a ciência da vida. Folhas. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2001.

CHASSOT, I. A. Educação no ensino de química. Ijuí: UNIJUÍ, 1990.

FARR, R. M. Representações Sociais: a teoria e sua história. In: GUARESCHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. Textos em Representações Sociais. Petrópolis: Vozes, 1995.

FRANZOLIN, F. Conceitos de biologia na educação básica e na academia: aproximações e distanciamentos. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) — Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2007.

GOODSON, I. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995.

HAIDAR, M. L. M.; TANURI, L. M. A Educação Básica no Brasil: dos primórdios até a primeira Lei de Diretrizes e Bases. 2. ed. São Paulo: Pioneira Th omson Learning, 2001.

KRASILCHIK, M. O ensino de Biologia em São Paulo- fases da renovação. Folhas. Tese (Doutorado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 1972.

. Práticas de Ensino de Biologia. 4ª. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo (USP), 2004.

MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O. O Perfi l dos Professores de Ciências no Brasil. Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão, Monografi a (especialização). Campo Mourão, 2004.

MAGALHÃES JÚNIOR, C. A. O. O currículo e a formação de professores de ciências do ensino fundamental dos estados do Paraná e São Paulo. Folhas. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) — Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 2007.

MANCUSO, R. O ensino da Biologia: realidade atual e possibilidades de inovações. Texto mimeografado. Porto Alegre, 1994.

MEDINA, J. L. V. Las redes semânticas naturales: usos y aplicaciones en psicología social. 3. ed. México: Universidad Sutónoma del Estado de México, 2000.

MINAYO, M. C. S. O Conceito de Representações Sociais dentro da sociologia clássica. In: GUARESCHI, P.; JOVCHELOVITCH, S. Textos em Representações Sociais. Petrópolis: Vozes, 1995.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS (PCN). Brasília. Ciências Naturais, 2001.

LAGUNES, I. Las redes semânticas naturales, su conceptualización y su utilización em la construcción de instrumentos. Revista de Psicología Social y Personalidad, v. 1, 81-97, 1993.

ROMANELLI, O. O. História da Educação no Brasil (1930/1973). 10. ed. Petrópolis: Vozes, 1988.

TOMITA, N. Y. De história natural a ciências biológicas. Ciência e Cultura, v. 42, n. 12, 1990.

THÉODORIDÈS, J. História da Biologia. Lisboa: Edições 70, 1984.

Downloads

Não há dados estatísticos.