ESTILO DE VIDA DE INDIVÍDUOS USUÁRIO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

Eliél Martins da Silva, Anselmo Cordeiro de Souza, Claudia Kümpel, Jonatas da Silva Souza, Elias Ferreira Porto

Resumo


Introdução: estudos já mostraram os benefícios de adoção de hábitos de vida saudável principalmente em relação a maior sobrevida e melhor qualidade de saúde. Objetivo: Verificar os comportamentos de estilo de vida que são mais frequentes na população que utiliza os serviços públicos de saúde. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, realizado em Unidade Básica de Saúde (UBS) o qual avaliou o estilo de vida por meio do PEVI de 222 participantes de ambos os sexos, com idade superior a 30 anos e usuários do Sistema Único de Saúde. Resultados: A amostra constou de um total de 222 pessoas, sendo 153 mulheres (69%). Foram distribuídas em três grupos segundo o estilo de vida avaliado pelo PEVI. Estilo de vida positivo (n=92), estilo de vida regular (n=119) estilo de vida negativo (n=11) e comparados em relação características sócio demográficas. Houve maior proporção de indivíduos com o estilo de vida regular em relação a positivo e negativo (p<0,0001). O estilo de vida positivo foi mais presente nas idades mais avançadas e casados (p<0,0001). Os fatores de estilo de vida com baixo risco para doenças crônicas e mortalidade prematura mais presentes foram primeiramente não fumar, seguido por não uso de álcool e controle do peso. Conclusão: Os fatores de estilo de vida com baixo rixo para doenças crônicas e mortalidade prematura. Mais presentes foram primeiramente não fumar, seguido por não uso de álcool e controle do peso.


Palavras-chave


Estilo de vida; Hábitos de vida; Estado de saúde

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A.K.; MAIA, E.M.C. Amizade em idosos Psicologia em Estudo, Maringá, v. 15, n. 4, p. 743-750, out./dez. 2010

Berscheid, E., and P. Regan. "The psychology of close relationships." (2005).

CLARO, R.M. et al, Consumo de alimentos não saudáveis relacionados a doenças crônicas não transmissíveis Epidemiol. Serv. Saúde, 257 Brasília, 24(2): 257-265, abr-jun 2015.

FEITOSA, R.C.L. et al, Levantamento dos hábitos de vida e fatores associados à ocorrência de câncer de tabagistas do município de Sidrolândia (MS, Brasil) Ciência & Saúde Coletiva, 16(2):605-613, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n2/v16n2a24.pdf Acesso em: 22 jul. 2017.

FREIRE, R.S. et al, Prática regular de atividade física: estudo de base populacional no norte de minas gerais, brasil, Rev Bras Med Esporte – Vol. 20, No 5 – Set/Out, 2014.

Hills, P., & Argyle, M. (2001). Emotional stability as a major dimension of happiness. Personality and individual differences, 31(8), 1357-1364.

Li Y, Pan A, Wang DD, et al. (2018) Impact of Healthy Lifestyle Factors on Life Expectancies in the US Population. Circulation: CIRCULATIONAHA.117.032047. DOI:

/CIRCULATIONAHA.117.032047

LI C, et al. Clustering of Multiple Healthy Lifestyle Habits and Health-Related Quality of Life Among U.S. Adults With Diabetes. Diabetes Care, 2007;30:1770-6.

MALTA, D.C. et al. Apresentação do plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis no Brasil, 2011 a 2022 Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 20(4):425-438,out-dez 2011

Nahas MV, Barros MVG, Francalacci V. O Pentáculo do Bem Estar; Base Conceitual para Avaliação do Estilo de Vida de Indivíduos ou Grupos. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde; 5 (2), 2000.

SOUZA, L.K.; HUTS, C.S. Relacionamentos pessoais e sociais: amizade em adultos. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 13, n. 2, p. 257-265, abr./jun. 2008.

SUZUKY, C.S; MORAES, S.A; FREITAS, I.C.M. Atividade física e fatores associados em adultos residentes em Ribeirão Preto, SP, Rev Saúde Pública 2011;45(2):311-20

TUOMILEHTO, J. Prevention of Type 2 Diabetes Mellitus By Changes In Lifestyle Among Subjects With Impaired Glucose Tolerance N Engl J Med, Vol. 344, No. 18 May 3, 2001. Disponível em: http://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJM200105033441801 Acesso em: 12 mar. 2016.

UNITED STATES. Department of Health and Human Services. Healthy People 2010: Understanding and Improving Health. 2nd ed. Washington, DC: U.S. Government Printing Office, November 2000.

WHO. World Health Organization. A Glossary of Terms for Community Health Care and Services for Older Persons, 2004.

WHO. World Health Organization. Obesity: preventing and managing the global epidemic. Report a WHO Consultation on Obesity, 2000.




DOI: https://doi.org/10.19141/2237-3756.lifestyle.v5.n2.p61-75

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Life Style

LS, Engenheiro Coelho, São Paulo, Brasil. ISSN: 2237-3756.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia